Brasil tem 1.726 mortes por covid-19 em 24h, pior registro da pandemia

De acordo com dados do consórcio de imprensa, o país tem 257.500 óbitos e 10.647.845 casos confirmados da doença

O consórcio de veículos de imprensa divulgou um balanço nesta terça-feira, 2, com os números da pandemia de covid-19 no Brasil, de acordo com dados das Secretarias Estaduais de Saúde. O país tem 257.500 óbitos e 10.647.845 casos confirmados da doença.

O balanço, atualizado às 20 horas, mostra que no período de um dia foram registradas 1.726 vítimas e 58.237 testes reagentes para o coronavírus. É o maior número de óbitos desde o início da pandemia.

Os dados são compilados pelo consórcio de imprensa que reúne UOL, Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra.

A média móvel, que contabiliza o número de óbitos da última semana, é de 1.274. A média de casos é de 55.318.

Vacinados nos estados

Segundo o levantamento feito pelo consórcio de imprensa, o Brasil já tem um total de 7.106.147 doses aplicadas contra a covid-19. Este valor é a soma dos 26 estados mais o Distrito Federal e equivale a 3,36% da população brasileira.

  • AC: 1ª dose - 20.151 (2,25%); 2ª dose - 3.899 (0,44%)
  • AL: 1ª dose - 98.239 (2,93%); 2ª dose - 7.934 (0,24%)
  • AM: 1ª dose - 254.134 (6,04%); 2ª dose - 58.416 (1,39%)
  • AP: 1ª dose - 25.002 (2,90%); 2ª dose - 2.929 (0,34%)
  • BA: 1ª dose - 470.783 (3,15%); 2ª dose - 124.470 (0,83%)
  • CE: 1ª dose - 303.266 (3,30%); 2ª dose - 97.015 (1,06%)
  • DF: 1ª dose - 143.007 (4,68%); 2ª dose - 52.680 (1,70%)
  • ES: 1ª dose - 123.933 (3,05%); 2ª dose - 28.492 (0,70%)
  • GO: 1ª dose - 205.657 (2,89%); 2ª dose - 45.669 (0,64%)
  • MA: 1º dose - 149.802 (2,11%); 2ª dose - 52.139 (0,73%)
  • MG: 1ª dose - 629.242 (2,96%); 2ª dose - 264.165 (1,24%)
  • MS: 1ª dose - 115.965 (4,13%); 2ª dose - 50.484 (1,80%)
  • MT: 1ª dose - 85.268 (2,42%); 2ª dose - 32.294 (0,92%)
  • PA: 1ª dose - 140.962 (1,62%); 2ª dose - 54.044 (0,62%)
  • PB: 1ª dose - 112.401 (2,78%); 2ª dose - 35.554 (0,88%)
  • PE: 1ª dose - 317.513 (3,30%); 2ª dose - 114.291 (1,19%)
  • PI: 1ª dose - 79.514 (2,42%) ; 2ª dose - 22.576 (0,69%)
  • PR: 1ª dose - 317.461 (2,76%); 2ª dose - 112.820 (0,98%)
  • RJ: 1ª dose - 546.584 (3,15%); 2ª dose - 132.823 (0,76%)
  • RN: 1ª dose - 95.048 (2,69%); 2ª dose - 36.335 (1,03%)
  • RO: 1ª dose - 47.275 (2,63%); 2ª dose - 9.592 (0,53%)
  • RR: 1ª dose - 27.913 (4,42%); 2ª dose - 9.121 (1,45%)
  • RS: 1ª dose - 483.152 (4,23%); 2ª dose - 111.523 (0,98%)
  • SC: 1ª dose - 180.199 (2,48%); 2ª dose - 58.567 (0,81%)
  • SE: 1ª dose - 48.907 (2,11%); 2ª dose - 35.337 (1,52%)
  • SP: 1ª dose - 2.039.588 (4,41%); 2ª dose - 603.453 (1,30%)
  • TO: 1ª dose - 45.084 (2,84%); 2ª dose - 10.327 (0,65%)

Doria diz que SP vive pior momento da pandemia

“O estado de São Paulo está na pior semana de todas da pandemia de covid-19”. A frase foi dita pelo governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva no fim da manhã desta terça-feira, 2, durante a abertura do novo ponto de vacinação drive-thru da capital paulista, no estádio do Morumbi.

Os dados divulgados pela Secretaria da Saúde do estado também confirmam a fala de Doria. O número de pessoas internadas em UTI chegou ao mais alto patamar desde o início da pandemia, com 7.173. O valor é 14% maior que o pico, registrado em junho do ano passado. Grande parte dessas internações é de jovens, com quadros mais complicados e que ficam internados por mais tempo. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 74% em todo o estado.

Com estes números, o governo do estado deve anunciar novas medidas de restrição de circulação. Na tarde desta terça-feira os membros do Centro de Contingência da Covid-19 se reuniram para falar sobre os dados mais atualizados e sugerir a Doria a adoção de uma fase mais restrita que a vermelha da quarentena, em que somente os serviços essenciais podem funcionar.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.