Bope treina policiais no metrô para segurança das Olimpíadas

O Bope realizou dois treinamentos no metrô do Rio para segurança da população e dos turistas durante os Jogos Olímpicos de 2016.

	Policiais do Bope: ações ocorreram hoje (15) e na terça-feira (13)
 (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Policiais do Bope: ações ocorreram hoje (15) e na terça-feira (13) (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
C
Cristina Indio do BrasilPublicado em 15/01/2015 às 20:13.

Rio de Janeiro - O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) realizou, esta semana, dois treinamentos para segurança da população e dos turistas durante os Jogos Olímpicos de 2016.

As ações ocorreram hoje (15) e na terça-feira (13), na estação Estácio do Metrô do Rio. 

De acordo com a PM, os treinamentos com simulação de resgate de reféns, reuniram 60 homens da Unidade de Intervenção Tática (UIT), divididos em duas equipes.

Segundo o sargento Glebson Ferreira de Lima, um dos maiores especialistas em negociação de conflitos da PM fluminense, a atuação dos agentes começa com a negociação da equipe com o sequestrador. Simultaneamente, os demais fazem o reconhecimento do local.

O militar disse, ainda, que equipamentos não letais, como balas de borracha e gás lacrimogêneo, são usados apenas se houver necessidade. A entrada tática dos policiais nos vagões do metrô é a última etapa do processo de resgate.

O sargento informou que, desde 2000, o Bope troca conhecimentos com tropas especiais de todo o mundo. “Os equipamentos que usamos são os mesmos. Treinamos mirando os grandes jogos, mas o objetivo maior é salvar vidas”, completou.

A ação no metrô foi montada com base em estudos de casos antigos do Brasil e exterior, além do intercâmbio do Bope e de polícias táticas de outros estados e países. Os agentes reproduzem uma situação real e usam coletes, escudos, capacetes, óculos protetores, máscaras e armas modernas.

Semana que vem, os policiais do Bope participarão de um simpósio com policiais de operações especiais de todo o Brasil. Até o fim do ano, a previsão é um intercâmbio com agentes da SWAT de Miami, nos Estados Unidos.