Brasil

Bolsonaro define como 'afronta' possível inelegibilidade no julgamento do TSE

Ex-presidente classifica julgamento no TSE como determinante para o futuro político da direita e afirma que perder os direitos políticos seria desmotivador, enquanto viaja a Porto Alegre sem aparentar preocupação

Possível sucessor no cenário bolsonarista é tema de especulação (Jair Bolsonaro/ Facebook/Reprodução)

Possível sucessor no cenário bolsonarista é tema de especulação (Jair Bolsonaro/ Facebook/Reprodução)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 22 de junho de 2023 às 14h53.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) classificou como uma "afronta" a possibilidade de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspender os direitos políticos dele no julgamento iniciado nesta quinta-feira, 22. Para o ex-chefe do Executivo, caso ele seja condenado e fique inelegível por oito anos, a decisão pode desmotivá-lo a continuar 100% ativo na política.

"Na minha idade, eu gostaria de continuar 100% ativo na política. Tirando os seus direitos políticos, que, ao meu ver, é uma afronta, você perde um pouquinho desse gás", afirmou o ex-presidente, em vídeo divulgado nas redes sociais dele.

Julgamento de Bolsonaro

O julgamento no TSE definirá o futuro político de Bolsonaro e de todo o campo da direita nas próximas eleições. Acusado de abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação, o ex-presidente pode perder os direitos políticos e ficar sem disputar eleições por oito anos se for condenado, abrindo uma disputa pelo espólio bolsonarista nos próximos anos.

Enquanto a Corte Eleitoral decide o futuro dele, o ex-presidente realiza uma viagem a Porto Alegre. Nesta quinta-feira, as redes sociais do Partido Liberal divulgaram um vídeo em que Bolsonaro aparece tirando fotos com apoiadores dentro de um avião. O conteúdo tem com intuito mostrar um ex-chefe do Executivo sorridente e tranquilo, sem sinais de preocupação com o julgamento.

Bolsonaro foi questionado sobre a existência de conversas para um possível sucessor na disputa eleitoral pela Presidência, mas negou que exista essa articulação. "A gente não pode partir dessa linha porque pode parecer que estamos jogando a toalha", disse. Como mostrou o Estadão, caso o ex-presidente seja condenado, a herança bolsonarista cairá no colo do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), querendo ele ou não.

Acompanhe tudo sobre:Jair BolsonaroTSE

Mais de Brasil

Quais os direitos de quem tem o Cadastro Único?

Quem pode fazer o Cadastro Único?

Quais veículos são isentos do rodízio em São Paulo? Veja a lista

Até quando pode andar com IPVA vencido? Veja as regras e como pagar

Mais na Exame