Bolsonaro critica exposição de Michelle e desafia Alexandre de Moraes: Vai me prender?

Presidente também afirmou que o ministro passou de 'todos os limites'
Bolsonaro: O presidente também afirmou que não adjetivaria as ações do ministro porque tem “vergonha” de falar o adjetivo que “merece” ministro (EVARISTO SA/AFP/Getty Images)
Bolsonaro: O presidente também afirmou que não adjetivaria as ações do ministro porque tem “vergonha” de falar o adjetivo que “merece” ministro (EVARISTO SA/AFP/Getty Images)
A
Agência O Globo

Publicado em 27/09/2022 às 20:57.

Última atualização em 27/09/2022 às 20:59.

O presidente Jair Bolsonaro mais uma vez partiu para o ataque contra o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, depois que ele determinou a quebra do sigilo telemático do assessor da presidência tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid. Após a medida, vieram a público despesas da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que teriam sido pagas por Cid. O titular do Palácio do Planalto, durante a sua live de hoje, desafiou o magistrado.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta.

-- Alexandre, você mexer comigo, é uma coisa. Você mexer com a minha esposa você ultrapassou todos os limites, Alexandre de Moraes. Todos os limites. Você está pensando o que da vida? Que você pode tudo e tudo bem? Você um dia vai dar uma canetada e me prender? É isso que passa pela sua cabeça? -- afirmou Bolsonaro durante live.

Segundo a reportagem do jornal Folha de S.Paulo, material analisado pela Polícia Federal indica que as movimentações financeiras se destinavam a pagar contas pessoas da família e a pessoas próximas a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Nesta terça-feira, durante live, Bolsonaro negou o uso do cartão corporativo para pagar as despesas.

Na sequência, Bolsonaro acusou o ministro do STF de ter vazado as informações para o jornal. A quebra do sigilo de Cid aconteceu dentro da apuração sobre o vazamento do inquérito que apurava a atuação de um hacker no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ajudante de ordens é investigado por ter participado do episódio e chegou a ter o seu sigilo telemático quebrado. Segundo a reportagem da Folha, foi nessa análise de material que a Polícia Federal considerou as movimentações suspeitas.

-- Já está errado porque o Alexandre de Moraes vazou. Foi o Alexandre de Moraes que vazou. Não vem com papinho que foi a PF não porque esse pessoal da PF, Alexandre de Moraes, come na sua mão. Então foi você que vazou. Pra que? Na reta final criar clima – afirmou o presidente.

Bolsonaro também afirmou que não adjetivaria as ações do ministro porque tem “vergonha” de falar o adjetivo que “merece” ministro.

-- Ele pega isso tudo, que tem a ver com minha vida particular, e difama. Eu não vou adjetivar aqui porque eu tenho vergonha de falar o adjetivo que merece o Alexandre de Moraes – afirmou, completando: -- Alexandre, fazer um pedido para você. Esqueça a minha esposa. Esqueça a minha esposa. Isso é comportamento de pessoas vis.

Leia tudo sobre as eleições 2022