Bolsonaro anuncia negociações com outros países para importação de combustíveis

O presidente já havia anunciado negociações com a Rússia para a importação de diesel
Bolsonaro: presidente não detalhou de quais nações pretende importar combustível (Alan Santos/PR/Flickr)
Bolsonaro: presidente não detalhou de quais nações pretende importar combustível (Alan Santos/PR/Flickr)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 22/07/2022 às 13:33.

Em visita a um posto de combustível em Brasília para fiscalizar a mais recente queda de preços, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, anunciaram nesta sexta-feira, 22, negociações com outros países para a importação de combustível mais barato.

"Estamos com vários outros países contatados para a gente comprar diesel mais barato. É a nova política que a gente está implementando, não é fácil mexer num lobby tão poderoso como o dos combustíveis", afirmou o presidente, sem especificar quais são as nações. "Entramos em contato com Ministério de Relações Exteriores e perguntamos em quais países existem restrições e sanções internacionais. Em todos que não existem sanções, o Brasil está entrando em contato e verificando a possibilidade de exportação", acrescentou Sachsida.

Conquiste um dos maiores salários no Brasil e alavanque sua carreira com um dos MBAs Executivos da EXAME Academy.

Bolsonaro já havia anunciado negociações com a Rússia para a importação de diesel. "Meu relacionamento com governo russo não é bom, é excepcional", declarou o presidente no posto de combustível. "Nosso contato com Putin está 10, excelente", seguiu o chefe do Executivo, que já declarou posição de neutralidade na guerra com a Ucrânia. "Em breve teremos combustível mais barato do mundo, tirando países produtores e com refinarias".

LEIA TAMBÉM: 

Governo reduz imposto de importação de 13 produtos, entre medicamentos e lúpulo para cerveja

Recuo na gasolina alivia a inflação, mas a pressão segue nos alimentos