Brasil

Ator Mário Frias sucede Regina Duarte e é nomeado secretário de Cultura

O ator será o quinto secretário de Cultura em 17 meses de governo

Mário Frias assume a secretaria de Cultura (Redes Sociais/Reprodução)

Mário Frias assume a secretaria de Cultura (Redes Sociais/Reprodução)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de junho de 2020 às 22h07.

Última atualização em 19 de junho de 2020 às 22h19.

Após um mês da saída da atriz Regina Duarte do ministério da Cultura, o também ator Mario Frias foi nomeado como ministro da pasta no governo Bolsonaro. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União. O ator será o quinto secretário de Cultura em 17 meses de governo.

Há um mês, Regina Duarte, então secretária da pasta, anunciou sua saída do cargo. A atriz ficou no posto apenas por três meses em uma gestão marcada por uma série de controvérsias.

O anúncio foi feito em um vídeo no Twitter do presidente Jair Bolsonaro, no qual Regina afirmou ter sido convidada para assumir a Cinemateca, em São Paulo.

O órgão também é parte da Secretaria da Cultura, o que significa que Regina será subordinada de Frias. “É um museu de toda filmografia brasileira, ficar ali, secretariando o governo dentro da Cinemateca. Tem maior presente do que isso?”, disse no vídeo.

A troca aconteceu após uma série de derrotas e controvérsias no cargo. No período em que assumiu a secretaria, após encerrar um contrato de 50 anos com a TV Globo, a atriz enfrentou resistência de setores do governo e nas redes sociais de grupos identificados com a chamada “ala ideológica” ou olavista.

Nomeações e demissões feitas por Regina Duarte foram revertidas com a assinatura de outros ministros. Ela também foi criticada pela classe artística por ignorar a morte de figuras importantes da cultura brasileira, e por relativizar as mortes pela ditadura durante uma entrevista.

Acompanhe tudo sobre:CulturaGoverno BolsonaroRegina Duarte

Mais de Brasil

Após receber novas doses, SP vai retomar a vacinação contra dengue neste sábado

Boulos quer câmeras corporais em agentes da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo

Conselho proíbe internação de crianças e adolescentes em comunidades terapêuticas

Casas de apostas terão que comunicar operações suspeitas ao Coaf e classificar risco de apostadores

Mais na Exame