Nutrien vê mercado de fertilizante apertado mesmo com Rússia

Multinacional deve aumentar a capacidade de produção de potássio para 18 milhões de toneladas até 2025, um aumento de 40% em relação a 2020, para atender demanda reprimida
Potássio armazenado na Nutrien, no Canadá: empresa vê mercado apertado (James MacDonald/Bloomberg via Getty Images/Getty Images)
Potássio armazenado na Nutrien, no Canadá: empresa vê mercado apertado (James MacDonald/Bloomberg via Getty Images/Getty Images)
B
Bloomberg

Publicado em 05/08/2022 às 09:00.

Última atualização em 05/08/2022 às 09:07.

O suprimento global de fertilizante a base de potássio permanecerá apertado mesmo com mais compras de insumos agrícolas da Rússia e da Bielorrússia, segundo o CEO de uma das maiores produtoras do mundo.

Os suprimentos da Rússia podem permanecer até 20% abaixo dos níveis de 2021, mesmo que o acesso do país sob sanções aos mercados de exportação cresça no próximo ano, disse Ken Seitz, CEO interino da Nutrien, em entrevista. As remessas da Bielorrússia podem atrasar, pois o país não tem acesso a portos. Sua produção pode cair pela metade, disse ele. As duas nações estão entre os três maiores produtores do nutriente agrícola.

“Teremos uma demanda reprimida”, disse Seitz. “Teremos solos sedentos por potássio.”

Os preços subiram no início deste ano para máximas de vários anos depois que a invasão russa da Ucrânia abalou os mercados. Muitos compradores de potássio evitaram os suprimentos russos por medo de se envolverem em sanções internacionais. No entanto, as vendas de fertilizantes até agora escaparam dos tipos de proibições impostas a outras commodities. Os preços no atacado estão caindo à medida que os produtos russos chegam aos mercados globais.

Os preços de fertilizante a base de potássio no cinturão do milho nos EUA e no Brasil caíram para o menores níveis desde março na semana que terminou em 29 de julho, de acordo com o Green Markets da Bloomberg.

A Nutrien disse que aumentará a capacidade de produção de potássio para 18 milhões de toneladas até 2025, um aumento de 40% em relação a 2020. Os agricultores comprarão mais potássio se estiver disponível, disse Seitz.

Veja também: