Vaza vídeo de morte do ditador norte-coreano em ‘A Entrevista’

Devido ao detalhamento, o vídeo é dos mais bizarros possíveis e mostra o ditador Kim Jong-Un sendo engolido pelas chamas de um avião enquanto sua cabeça explode

A Sony Pictures cancelou a estreia da polêmica comédia “A Entrevista”, mas uma das cenas que deve ter provocado a ira de norte-coreanos acabou divulgada na web. O clipe foi vazado com mais uma série de arquivos da Sony Pictures, e mostra o ditador Kim Jong-Un sendo morto após o helicóptero em que estava ser atingido por um projétil e explodir.

Devido ao detalhamento, o vídeo é dos mais bizarros possíveis. Enquanto o cabelo é queimado e parte de seu rosto voam ou se deformam, o líder norte-coreano é engolido pela explosão e pela bola de fogo. E tudo acontece em câmera lenta.

Pelo que mostram e-mails obtidos pelo Gawker, a cena de morte foi discutida durante um bom tempo por Seth Rogen, produtor do filme, e por executivos do estúdio. A ideia era ter uma cena até mais perturbadora, com um projétil de tanque atingindo Jong-Un na cabeça e pedaços de cérebro e ossos  voando para todos os lados.

No entanto, Kaz Hirai, CEO da Sony Corporation, preferiu algo mais brando, e pediu inclusive para que a quantidade de fogo no cabelo do ditador fosse reduzida após a bala atingir o helicóptero, e não a cabeça do personagem. Amy Pascal, presidente da Sony Pictures, foi a responsável por intermediar a conversa entre Hirai e os responsáveis pelo filme.

O resultado das discussões você pode ver aqui, mas vale o aviso: a cena não é das mais agradáveis e nem exatamente engraçada, mesmo sendo parte de uma comédia. Se o vídeo sair do ar, dá para ver a cena resumida em um GIF por aqui.

Investigação do caso – Nesta última quarta-feira, reportagens citando oficiais da inteligência norte-americana revelaram que a Coreia do Norte está realmente envolvida no ataque à Sony Pictures – mesmo que apenas dando ordens a hackers de fora.

Os norte-coreanos negam, mas um dos motivos para acreditar na conclusão dos investigadores está relacionado justamente a esta cena. Conforme lembra o The Verge, oficiais do país asiático “descreveram o filme como um ‘ato de guerra’, antes de prometer uma resposta impiedosa”.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.