Tecnologia

Neuralink, de Elon Musk, fará teste de implante cerebral em novo voluntário

A aprovação da FDA vem após a empresa propor soluções para problemas detectados no primeiro voluntário do "chip no cérebro"

Neuralink: empresa de neurotecnologia recebe aprovação da FDA para novo teste em voluntário (Jonathan Raa/NurPhoto /Getty Images)

Neuralink: empresa de neurotecnologia recebe aprovação da FDA para novo teste em voluntário (Jonathan Raa/NurPhoto /Getty Images)

Laura Pancini
Laura Pancini

Repórter de Tecnologia e Inteligência Artificial

Publicado em 20 de maio de 2024 às 12h00.

Última atualização em 20 de maio de 2024 às 12h03.

Tudo sobreelon-musk
Saiba mais

A Neuralink, empresa de neurotecnologia de Elon Musk, recebeu aprovação da Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, em inglês) para realizar um novo teste de seu implante cerebral em um segundo paciente. A aprovação vem após a empresa propor soluções para problemas detectados no primeiro participante dos testes, Noland Arbaugh.

O primeiro voluntário começou a ter problemas com o dispositivo um mês após a cirurgia. A maioria dos fios implantados se soltou, comprometendo a funcionalidade do dispositivo. Apenas 15% dos fios permanece no mesmo lugar que anteriormente, segundo a própria Neuralink.

De acordo com entrevista de Arbaugh ao Wall Street Journal, como tal dispositivo nunca havia sido implantado em um ser humano antes, a Neuralink não sabia quanto o cérebro se moveria dentro do crânio. O cérebro de Arbaugh moveu "três vezes mais" do que a empresa esperava, de acordo com ele.

Mas, no primeiro mês, Arbaugh chegou a controlar um cursor na tela de um computador apenas com os pensamentos. Ele também foi capaz de se comunicar com amigos, jogar e interagir com seu mundo de maneiras que não pareciam possíveis após o acidente que o deixou tetraplégico oito anos atrás.

O primeiro voluntário revelou que, apesar dos contratempos iniciais, ajustes de software realizados pela Neuralink ajudaram a recuperar muitas das funcionalidades do dispositivo.

Roubos de celular no Brasil inspiraram novas atualizações do Android

A nova tentativa da Neuralink

Agora, a Neuralink propõe a implantação de fios ultrafinos em uma parte mais profunda do cérebro, indo até oito milímetros no córtex motor do cérebro. Em Arbaugh, foi inserido entre três a cinco milímetros.

O implante N1 da Neuralink é um dispositivo do tamanho de uma moeda, com eletrônicos e uma bateria. Ele conta com 64 fios, tão finos quanto um fio de cabelo humano, e que são inseridos no córtex motor do cérebro para transmitir sinais neurais.

Não se sabe ainda se o próximo voluntário receberá uma nova versão do implante. Ele será selecionado entre mais de 1.000 tetraplégicos inscritos e, segundo Elon Musk, as inscrições ainda estão abertas.

A Neuralink pretende implantar seu dispositivo em 10 pessoas este ano e espera ter voluntários diversos para estudar uma variedade de comportamentos. Um desafio é que as pessoas que se inscrevem são, em sua maioria, brancas e homens.

A expectativa da empresa de neurotecnologia, segundo o WSJ, é iniciar testes semelhantes no Canadá e na Grã-Bretanha. Eles aguardam aprovação das agências regulatórias dos respectivos países.

Boticário usa tecnologia adaptativa e cria base que combina com diversas peles
Acompanhe tudo sobre:elon-muskNeurociência

Mais de Tecnologia

NIO lança estação que realiza troca de bateria em apenas 3 minutos

Aeroportos registram queda no extravio de bagagens após implementação de novas tecnologias

Volta do presencial prejudica profissionais de tecnologia do Norte e Nordeste

IBM Consulting troca gerente geral para renovar foco em projetos de inteligência artificial

Mais na Exame