Tecnologia

Roubos de celular no Brasil inspiraram novas atualizações do Android

Em resposta ao alto índice de roubos de celulares em São Paulo, a gigante de tecnologia implementa novas medidas de proteção, incluindo bloqueio por detecção de movimento suspeito

Laura Pancini
Laura Pancini

Repórter de Tecnologia e Inteligência Artificial

Publicado em 15 de maio de 2024 às 14h09.

Última atualização em 15 de maio de 2024 às 15h35.

Já faz um tempo que smarpthones saíram do campo de dispositivos, e se tornaram outras versões ou até extensões da carteira, de documentos, de cartões e muitas outras coisas. São partes artificiais dos corpos e mentes de seus usuários. Ainda que não sejam interpretado assim quando são roubados ou violados, os efeitos na vida são bastante reais. Em São Paulo, por exemplo, um telefone é roubado a cada cinco minutos, cenário que levou o Google a desenvolver novas funcionalidades de segurança para o Android, com lançamento previsto para este ano.

Nesta quarta-feira, 15, o Google anunciou uma série de atualizações para o sistema Android, focadas em aumentar a proteção dos usuários contra roubo de celulares. "As pessoas simplesmente não estão mais comprando um telefone, estão comprando um ecossistema de dispositivos que funcionam bem juntos. Estamos fazendo avanços significativos para manter seus dados seguros", disse Sameer Samat, presidente do ecossistema Android. Durante uma conversa com a imprensa no evento Google I/O, em San José, na Califórnia, o executivo revelou que os casos de roubo no Brasil foram a grande inspiração para as ferramentas anti-roubo.

Inovações inspiradas no Brasil

Uma das principais funcionalidades anunciadas é o Bloqueio de Detecção de Roubo, que utiliza inteligência artificial para identificar movimentos suspeitos, como correr ou andar de bicicleta após um telefone ser arrancado da mão do usuário. O sistema bloqueia automaticamente o dispositivo ao detectar esses padrões de movimento, dificultando o acesso dos ladrões às informações armazenadas.

Outra inovação é o Espaço Privado, que funciona como um "telefone dentro do telefone", permitindo que os usuários mantenham aplicativos sensíveis, como os de saúde e financeiros, protegidos por uma camada extra de segurança. "Pensamos nisso após descobrir que brasileiros carregavam dois celulares, um só para informações seguras," disse Samat.

Além disso, a nova funcionalidade de Bloqueio Remoto permitirá que os usuários bloqueiem a tela do dispositivo roubado através do site android.com/lock.

Samat também destacou a colaboração com funcionários, consumidores e autoridades brasileiras na criação dessas funcionalidades. "O Brasil foi muito influente para nós na criação dos recursos de bloqueio de detecção de roubo. Conversamos até com o governo brasileiro no ano passado, que deixaram claro que isso era um problema a ser resolvido", disse.

Proteção avançada contra roubo de dados

Além dessas inovações, o Android também está implementando várias outras medidas de segurança para proteger dispositivos e dados dos usuários:

  1. Proteção contra reset de fábrica: Com essa atualização, se um ladrão tentar forçar um reset no dispositivo roubado, ele não conseguirá configurá-lo novamente sem conhecer as credenciais do dispositivo ou da conta Google do usuário. Isso torna o dispositivo roubado inutilizável, reduzindo os incentivos para o roubo.
  2. Espaço privado para aplicativos sensíveis: Permite criar uma área separada no telefone, que pode ser escondida e bloqueada com um PIN diferente, oferecendo segurança adicional para aplicativos que possam conter dados sensíveis, como informações de saúde ou financeiras.
  3. Autenticação aprimorada: Exigirá biometria para acessar e alterar configurações críticas da conta Google e do dispositivo, como mudar o PIN, desativar a proteção contra roubo ou acessar senhas, a partir de uma localização não confiável
  4. Bloqueio de tela automático com IA: Detecta movimentos suspeitos, como correr ou andar de bicicleta após o telefone ser roubado, e bloqueia a tela automaticamente, ajudando a proteger os dados do usuário.
  5. Bloqueio de dispositivo offline: Se um ladrão tentar desconectar o telefone por períodos prolongados, a tela será bloqueada automaticamente, protegendo os dados mesmo quando o dispositivo estiver fora da rede.

Essas novas funcionalidades serão disponibilizadas para dispositivos com Android 10 e superiores ainda este ano, com algumas atualizações chegando no Android 15. Com essas medidas, o Google espera tornar os dispositivos menos atraentes para os criminosos, oferecendo uma camada extra de segurança e tranquilidade para os usuários em todo o mundo.

*A jornalista viajou a convite do Google

Acompanhe tudo sobre:AndroidSmartphones

Mais de Tecnologia

Novo app permite instalar jogos retrô da Nintendo no iPhone; saiba como

Neuralink, de Elon Musk, fará teste de implante cerebral em novo voluntário

Contra Huawei, Apple corta preço de iPhone na China

TikTok passa a testar vídeos de 60 minutos e acirra disputa com YouTube

Mais na Exame