Tecnologia

IDC estima que a Apple venderá menos de 500 mil unidades do Vision Pro em 2024

Com uma queda de 75% nas venda no trimestre atual, Apple Vision Pro não convenceu os consumidores

Apple Vision Pro: produto não alcançou o sucesso esperado pela empresa da maça (Michael M. Santiago/Getty Images)

Apple Vision Pro: produto não alcançou o sucesso esperado pela empresa da maça (Michael M. Santiago/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 11 de julho de 2024 às 13h44.

Última atualização em 11 de julho de 2024 às 13h45.

Apple Vision Pro, o primeiro dispositivo de realidade virtual e aumentada da Apple, está enfrentando dificuldades para alcançar vendas expressivas. De acordo com a IDC, o headset da Apple ainda não vendeu 100.000 unidades em um trimestre desde seu lançamento nos Estados Unidos em fevereiro.

Com uma queda de 75% nas vendas domésticas no trimestre atual, o Apple Vision Pro não está convencendo os consumidores sobre a próxima geração da computação.

Mesmo com a expansão internacional do Apple Vision Pro (já disponível em alguns mercados europeus e asiáticos), a IDC afirma que o dispositivo não ultrapassará 500.000 vendas em 2024.

Motivos para o início lento

Entre os motivos para o início lento das vendas do Apple Vision Pro estão o alto preço, o peso e a falta de aplicativos e conteúdos de vídeo personalizados. Por exemplo, Netflix, YouTube e Spotify não estão na plataforma.

Além disso, o visionOS 2 não parece ser uma grande atualização capaz de aumentar o interesse de consumidores entusiastas.

Com isso, rumores sobre um modelo mais barato continuam a se espalhar. A IDC acredita que a Apple poderia mais que dobrar as vendas quando uma nova versão do Vision Pro chegar, e a Bloomberg indica que isso poderia acontecer na segunda metade do próximo ano.

Se concretizado, o Vision Pro barato custaria cerca de US$ 1.600. No entanto, a Apple não sabe quais recursos cortar para tornar esse dispositivo acessível, pois a remoção de câmeras e da tela ultra-realista pode interferir na experiência.

A Bloomberg relatou anteriormente que a Apple discutiu internamente preços variando de US$ 1.500 a US$ 2.500 para o próximo modelo. Além de telas de resolução mais baixa e um processador de iPhone em vez de um chip de Mac, a Apple poderia estar planejando remover o recurso EyeSight e incluir menos câmeras e sensores externos.

Conheça a sede da Apple

Acompanhe tudo sobre:AppleRealidade virtual

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame