Empresas de tecnologia crescem em meio ao caos da pandemia

Amazon, Apple, Facebook e Samsung continuaram em alta na quarentena global do novo coronavírus

Os gigantes do mercado de tecnologia continuaram a crescer mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. O Facebook dobrou (98%) o lucro líquido no trimestre anualizado, chegando a 5,1 bilhões de dólares, mesmo tendo sofrido boicotes de anunciantes que visavam pressionar a companhia a tomar providências contra publicações que contenham ofensas e discurso de ódio.

A sul-coreana Samsung conseguiu aumentar o lucro no segundo trimestre de 2020, apesar da crise do novo coronavírus, que afetou o mercado global. A companhia sul-coreana reportou alta de 23% no lucro do período, chegou a 6,84 bilhões de dólares. O que puxou a alta no lucro da Samsung foi a divisão de semicondutores e um pagamento compensatório da Apple por ter encomendado menos telas de iPhone do que o previsto.

A Apple conseguiu aumentar a receita de todas as suas unidades de negócios. A receita do iPhone teve alta de 2% em relação ao mesmo período do ano passado, mesmo com a queda do mercado de smartphone, que afetou tanto a Apple quanto a Samsung — mas ambas conseguiram absorver o impacto da crise do novo coronavírus. A divisão de serviços da Apple foi de 11,5 bilhões no segundo trimestre do ano passado para 13,1 bilhões no último trimestre. A área engloba serviços como o Apple Music, o Apple TV+ e a iTunes Store. A divisão do Apple Watch também deu um salto e passou de 5,5 bilhões em 2019 para 6,4 bilhões no período.

Já a Amazon superou expectativas de analistas e registrou receita de vendas no segundo trimestre de 88,9 bilhões de dólares, contra estimados 81,24 bilhões. Porém, sua divisão de serviços de computação, a Amazon Web Services, ficou um pouco abaixo do previsto, ficando com 10,81 bilhões de dólares de receita, contra 11,01 bilhões de dólares. Ainda assim, o crescimento foi de 29% em relação ao mesmo período no ano passado. Muitas companhias utilizaram os serviços da AWS para prover soluções de computação em nuvem para oferecer aulas online e outros produtos digitais durante a pandemia.

Mas nem todas as empresas de tecnologia se deram bem na pandemia. A Alphabet, empresa controladora do Google, teve queda histórica no faturamento trimestral. A companhia registrou receita de 38,30 bilhões de dólares no período de abril a junho. A cifra é 2% menor do que a registrada no segundo trimestre de 2019. Um dos principais motivos foi a queda do mercado publicitário na internet, algo que não impactou tão negativamente o Facebook.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.