Tecnologia
Acompanhe:

Conheça Jen Lowe e seu coração que bate ao vivo na internet

Cientista americana desenvolve sistema que monitora batimentos cardíacos e publica dados em site. Segundo ela, a ideia é discutir os limites ético do Big Data


	Jen Lowe, cientista americana: "Duas vezes por dia eu conecto o relógio e atualizo o site"
 (Reprodução/Twitter)

Jen Lowe, cientista americana: "Duas vezes por dia eu conecto o relógio e atualizo o site" (Reprodução/Twitter)

S
Saulo Pereira Guimarães

Publicado em 9 de abril de 2014, 17h13.

São Paulo - Jen Lowe é jovem, loura e tem um coração que bate ao vivo na internet. Ela desenvolveu um sistema que monitora seus batimentos cardíacos e vem compartilhando os dados por meio de um site.

Em onehumanheartbeat.com, é possível saber ainda quantas dias já viveu e quantos ainda deve ter pela frente a pesquisadora do Columbia University's Spatial Information Design Lab. Para obter estes dados, ela usa um relógio inteligente Basic Fitness.

O gadget grava a média de batimentos cardíacos por minuto da cientista, que publica a informação 24h depois em seu site. Assim, o que aparece lá agora aconteceu com ela um dia atrás.

"Duas vezes por dia eu conecto o relógio e atualizo o site com minhas últimas taxas de batimento cardíaco", afirma Jen em texto sobre o experimeto. Segundo a pesquisadora, o objetivo da iniciativa é gerar discussão sobre big Data.

Big Data

Uma das mais promissoras tendências atuais na área de tecnologia, o big Data consiste no armazenamento e análise de dados em grande escala. Cada vez mais comum, o procedimento é realizado com diversos fins.

Porém, os críticos apontam hoje o big Data como uma ameaça à privacidade. Para eles, casos como o escândalo envolvendo a agência americana NSA no ano passado seriam exemplo disso.

Entretanto, tudo indica que o big Data veio mesmo para ficar. No ano passado, a expectativa do instituto ABI Research era que tecnologias do tipo movimentassem mais de 30 bilhões de dólares em todo mundo. Até 2018, o instituto prevê que o setor alcance a marca de 114 bilhões de dólares.