Tecnologia

Blackberry PlayBook poderá rodar aplicativos do Android

A Research in Motion (RIM) prepara o lançamento do tablet Blackberry PlayBook e estuda a possibilidade de ele também rodar aplicativos desenvolvidos para o Android.

BlackBerry PlayBook: o tablet da RIM tem uma câmera frontal para videoconferência (Blackberry / Divulgação)

BlackBerry PlayBook: o tablet da RIM tem uma câmera frontal para videoconferência (Blackberry / Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de junho de 2011 às 20h52.

A RIM deve começar a vender o tablet PlayBook já este semestre. A empreas vem estudando a possibilidade de seus dispositivos também rodarem aplicativos desenvolvidos para o sistema Android, do Google.

De acordo com o site Bloomberg, fontes ligadas ao desenvolvimento do tablet afirmaram que a empresa pretende criar um sistema chamado de ONX para que o PlayBook e novos BlackBerry venham de fábrica capacitados a rodar aplicativos para Android. Dessa forma, os dispositivos da RIM teriam essa tecnologia integrada ao sistema operacional proprietário da empresa, possibilitando aos usuários acesso aos mais de 130 mil aplicativos do Android.

Segundo as fontes, a RIM estaria preparando internamente o software, que poderá ser disponibilizado até o segundo semestre deste ano. Porém, não há informações se o Google irá aceitar uma parceria com a empresa. Se não houver um acordo, o Google pode bloquear o acesso dos dispositivos BlackBerry ao Android Market.

Se a informação for confirmada, o software poderá elevar as vendas do PlayBook em até 50%, segundo estimativas do mercado. A RIM poderá vender mais de 4 milhões de unidades somente em 2011. O plano da RIM é iniciar as vendas do tablet até março nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:AndroidAppsBlackBerryEmpresasGoogleTablets

Mais de Tecnologia

Apenas 20% dos CFOs estão satisfeitos com os resultados dos investimentos em tecnologia

Meta negocia comprar 5% da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban que comprou a Supreme, diz WSJ

Meta abre dados do Instagram para estudo do impacto na saúde mental de adolescentes

O que é o Prime Day? Nos EUA, ele deve movimentar US$ 14 bilhões

Mais na Exame