Apple prepara iPhone com tela dobrável

A companhia desenvolveu protótipos de telas dobráveis para testes internos, mas ainda não solidificou os planos para realmente lançar um iPhone dobrável

A Apple deu início ao desenvolvimento de um iPhone com tela dobrável, rival potencial de dispositivos similares da Samsung e de outras fabricantes. Entretanto, a empresa planeja apenas pequenas mudanças para a linha deste ano do smartphones.

A companhia sediada em Cupertino, na Califórnia, desenvolveu protótipos de telas dobráveis para testes internos, mas ainda não solidificou os planos para realmente lançar um iPhone dobrável. Os trabalhos não foram além da tela, o que significa que a Apple ainda não tem um protótipo de smartphones completo em seus laboratórios, segundo uma fonte que pediu para não ser identificada.

Como no Galaxy Fold da Samsung, no Motorola Razr e em outras ofertas de companhias chinesas, incluindo a Huawei, um iPhone dobrável permitiria à Apple oferecer um aparelho pequeno, mas com tela grande.

Internamente, a empresa discutiu vários tamanhos de tela, incluindo um que se desdobra em 6,7 polegadas, o mesmo tamanho do iPhone 12 Pro Max. Os smartphones dobráveis atuais têm telas que variam de 6 a 8 polegadas quando abertos.

As telas que a Apple está testando, como as da Samsung, possuem dobras quase invisíveis, com os eletrônicos incorporados na parte traseira, disse a fonte. Outras empresas, incluindo a Microsoft, lançaram recentemente aparelhos com dobras visíveis separando duas telas distintas.

Pioneira da indústria de smartphones, a Apple tem sem dúvidas o produto de tecnologia de maior sucesso da história, o que a ajudou a se tornar a companhia mais valiosa do mundo. Porém, um iPhone dobrável ainda está a anos de ser lançado, ou pode até mesmo nunca ser introduzido. No momento, o foco está na próxima geração de iPhones e iPads.

Para a linha deste ano, a Apple não planeja grandes mudanças no iPhone, dadas as melhorias feitas no modelo de 2020, que incluíram o 5G e novo design. Internamente, os engenheiros consideram uma nova versão “S”, que tradicionalmente recebe menos atualizações.

A pandemia de covid-19 também complicou o desenvolvimento de produtos, com os engenheiros de hardware trabalhando nos escritórios do Vale do Silício apenas em alguns dias da semana e em número limitado. Com isso, os engenheiros da Apple na China foram sobrecarregados.

No ano passado, a pandemia atrasou o lançamento do iPhone 12 por semanas, mas a Apple foi capaz de incluir quase tudo o que estava planejado, com exceção de um acessório chamado “AirTags”, para localização de itens físicos, como chaves e mochilas. O plano é apresentar o produto neste ano. A Samsung anunciou neste mês um produto similar.

Apesar de as mudanças planejadas serem pequenas, a Apple está testando uma novidade para 2021: o leitor de impressão digital embutido na tela. Isso acrescentaria um novo método para o desbloqueio de iPhones, para além da senha e do Face ID.

A Apple começou a se afastar dos sensores de impressão digital em 2017, com o lançamento do iPhone X, mas o Touch ID continuou em notebooks Mac e nos modelos mais baratos do iPhones. A Qualcomm, que fornece chips 5G para a Apple, anunciou neste mês um sensor embutido na tela mais veloz.

Isso seria conveniente para o momento que atravessamos, com os usuários vestindo máscaras, que muitas vezes são incompatíveis com o reconhecimento facial. Um leitor de impressão digital na tela, já presente em smartphones Android há muitos anos, poderia ser mais prático.

A Apple também discutiu a remoção da entrada para o cabo de energia em alguns modelos, em favor do carregamento sem fio.

Para a linha de tables, a Apple planeja um novo iPad Pro que se parece com o modelo atual, mas acrescenta tela de MiniLED e processador muito mais veloz. Um modelo de entrada, mais fino e leve, que usa o mesmo design do iPad Air de 2019, também está sendo desenvolvido.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.