Novo iPhone "popular" começa ser vendido no Brasil por R$ 3,7 mil

O novo iPhone SE, da Apple, é uma versão moderna do modelo mais barato da empresa, uma aposta para elevar as vendas durante a pandemia

A Apple começa a vender nesta quinta-feira (30) o novo iPhone SE, o smartphone popular da marca americana. O aparelho tem o visual adotado pela última vez no iPhone 8, mas tem o mesmo microprocessador A13 do iPhone 11, além de uma tela de 4,7 polegadas e uma câmera traseira de 12 megapixels.

O iPhone SE pode tirar fotos no modo retrato, com o fundo desfocado, assim como fazem outros smartphones da Apple. No entanto, o produto não tem o sensor de reconhecimento facial. Em vez disso, o desbloqueio da tela acontece por meio de um sensor de impressões digitais, como no iPhone 8.

A Apple não informou a capacidade da bateria do iPhone SE, mas diz que a bateria pode atingir metade da carga após passar 30 minutos carregando conectado a uma tomada.

O novo iPhone SE é vendido no Brasil por 3.699 reais. Nos Estados Unidos, ele custa 399 dólares. O smartphone é oferecido nas cores preto, branco e vermelho (Product RED) e com três capacidades de armazenamento diferentes: 64 gigabytes, 128 gigabytes e 256 gigabytes.

O iPhone SE é uma aposta da Apple para vender mais durante a pandemia do novo coronavírus, que impactou o comércio global de eletrônicos e afetou a cadeia de produção.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.