A Nvidia está comprando uma nova empresa – e as big techs não gostaram

Negócio envolvendo a aquisição da ARM pode ser barrado pelos esforços de gigantes da tecnologia como Google e Microsoft
Nvidia: empresa americana quer adquirir o controle da ARM por 40 bilhões de dólares (Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images/Getty Images)
Nvidia: empresa americana quer adquirir o controle da ARM por 40 bilhões de dólares (Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images/Getty Images)
Por Rodrigo LoureiroPublicado em 13/02/2021 09:00 | Última atualização em 13/02/2021 02:51Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um movimento de compra de empresa pela Nvidia está causando polêmica no mercado de tecnologia. Empresas como Google, Microsoft e Qualcomm querem impedir que a fabricante peças de computador adquira a operação da ARM. A companhia britânica é responsável pela fabricação de processadores que podem ser utilizados em diferentes produtos eletrônicos. O negócio entre as partes está estimado em 40 bilhões de dólares.

Em objeção ao negócio, as big techs enviaram manifestos que pedem que a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) vete a aquisição. Também foram feitos apelos para a Comissão Europeia e a Administração Estatal de Regulamentação de Mercado da China. A justificativa é de que a compra fará com que a Nvidia atue como uma espécie de “guardiã” da tecnologia desenvolvida pela ARM.

Isso poderia ser prejudicial para o mercado como um todo, já que iria impedir que a tecnologia fosse utilizada por outras empresa, como foi feito nos últimos anos. De qualquer forma, vale lembrar que uma das opositoras ao negócio é a Qualcomm, rival americana no mercado de chips para celulares, tablets e outros gadgets.

De acordo com a Bloomberg, Google e Microsoft também estão preocupadas com a operação de compra. Ainda não se sabe o motivo exato do temor, mas as duas empresa já enviaram documentos que pedem para que as autoridades reguladores vetem a fusão entre as duas empresas. Procuradas, as empresas mantêm silêncio sobre o assunto.

Em defesa, a Nvidia tenta tranquilizar o mercado ao afirmar que irá manter o modelo atual de licenciamento das arquiteturas digitais para empresas em todas as partes do planeta. A Nvidia também diz que os acordos podem ser ampliados caso haja necessidade e mediante negociação.