As lições de Daniela Lacerda, que fatura 285 milhões de reais aos 29 anos

Lacerda, da rede de supermercados Corujão, quer faturar 500 milhões de reais em 2022 com franquias. A ideia já tem 130 interessados
 (Taila Silva/Divulgação)
(Taila Silva/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 16/12/2021 às 05:23.

Última atualização em 17/12/2021 às 11:06.

Aos 29 anos, a empreendedora Daniela Lacerda, de Feira de Santana, na Bahia, está no comando da Rede Corujão, uma rede de seis supermercados com faturamento de 285 milhões de reais em 2020. O embrião foi um negócio que vendia bebidas geladas 24 horas por dia, sete dias por semana — uma novidade na ocasião. Em 2022, Lacerda vai investir no modelo de franquias. A ideia é abrir lojas de conveniência com a marca Corujão em postos de gasolina, num modelo concebido pelo Grupo Bittencourt, consultoria em franquias responsável por um projeto semelhante para o Grupo Carrefour.

“Agora é a hora de formar empreendedores pelo Brasil”, diz Lacerda. A lista de interessados tem mais de 130 nomes. Em paralelo, nos planos da empreendedora está convencer pequenos supermercadistas concorrentes a adotar a marca Corujão e, dessa maneira, virar também franqueados. A meta é faturar 500 milhões de reais no próximo ano.

Aprenda as técnicas de inovação utilizadas pelas maiores e mais lucrativas startups. Comece agora!


As lições da empreendedora

1. Liderar é dar liberdade

“A expansão de um negócio depende de pessoas. Aprender a ouvir e a dar poder aos funcionários faz parte. A autonomia traz ideias frescas para um negócio.”

2. Ter um norte 

“Sem um plano de negócios, nada para em pé. O setor pouco importa. O que importa é saber aonde quer chegar. Isso diz muito mais sobre o negócio do que olhar para onde você está agora.” 

3. Não ficar parado

“Desviar da inovação é correr o risco de sofrer uma morte súbita no empreendedorismo. Estabilidade é uma lenda. Podemos faturar milhões em um dia e no outro ter alguém nos engolindo.”

4. Planejar as finanças

“Separar o que é o recurso da empresa e o que é o pró-labore ainda é um desafio para muita gente. Faturamento não é lucro, e querer ser rico sem entender isso é  enganoso.”


(Publicidade/Exame)