Hotmart investe na startup SkillHub, de educação corporativa

A empresa, fundada em 2020, conecta funcionários de companhias clientes com cursos e conteúdos que podem ajudá-los em suas carreiras

A startup brasileira SkillHub, voltada para o mercado de educação corporativa, anuncia nesta quarta-feira, 10, ter concluído sua primeira rodada de captação, de valor não divulgado. Quem liderou o aporte na companhia foi a empresa de tecnologia mineira Hotmart, famosa por sua plataforma de cursos digitais.

“Já investimos em várias empresas que auxiliam os produtores de conteúdo digitais, como a Reshape e ENotas. Acreditamos que a SkillHub ajudará nosso ecossistema a crescer e vemos oportunidades de levar nossos produtores de conteúdo a vender também para mercado corporativo”, afirma João Pedro Resende, cofundador e presidente da Hotmart.

Fundada em 2020, em Campinas, no interior de São Paulo, a SkillHub é um "Netflix da carreira". A empresa oferece uma plataforma em que funcionários das empresas clientes podem navegar e encontrar conteúdos e cursos para ajudá-los a desenvolver determinadas habilidades.

Com um ano de atuação, a empresa conquistou clientes como Dafiti, TecBan e Loft, atendendo cerca de 5.000 pessoas. Já na frente de parceiras com instituições de ensino, há 40 companhias cadastradas, entre elas a Fundação Getúlio Vargas, a Saint Paul e a Alura.

A empresa foi idealizada por dois empreendedores com experiência no mercado de tecnologia: João Bizzarri (ex-Linkedin e Bain & Company) e André Felix (ex-Movile). Os sócios foram apresentados por um amigo em comum em 2019, quando ambos pensavam em deixar seus cargos para empreender.

Bizzarri, que trabalhava no Linkedin na época, estava começando a gestar um projeto para atender a demanda crescente do mercado corporativo por soluções de educação. Na visão do empreendedor, em vez das grandes empresas travarem uma guerra de talentos em um país com 14 milhões de desempregados, seria mais eficiente (e barato) investir na formação profissional dos funcionários.

Junto com Felix, ele desenvolveu o modelo de negócio atual da SkillHub, que tem hoje duas principais fontes de receita. A primeira é um modelo de assinatura, em que cada companhia cliente paga entre de 5 a 20 reais por mês por funcionário que usa a plataforma. A segunda é uma taxa cobrada dos parceiros de educação a cada curso vendido por meio do serviço.

Com o aporte, os sócios esperam ampliar o número de clientes e de conteúdos na plataforma. Para isso, vão aumentar seus investimentos em tecnologia e na área comercial, passando de 15 para 25 funcionários até o final do ano. “O desafio agora é chegar em mais clientes. Para isso, precisamos encontrar companhias que estejam com uma estrutura organizada para investir na educação dos seus funcionários”, diz Felix.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.