Negócios

Wilson Sons vai construir 2 embarcações para Petrobras

Embarcações serão construídas no estaleiro da Wilson Sons, no Guarujá (SP), e têm a data limite de entrega até o ano de 2017


	Tripulação trabalha em uma plataforma de petróleo da Petrobras: Wilson Sons tem encomendado outros três PSVs junto a um estaleiro no exterior
 (Dado Galdieri/Bloomberg)

Tripulação trabalha em uma plataforma de petróleo da Petrobras: Wilson Sons tem encomendado outros três PSVs junto a um estaleiro no exterior (Dado Galdieri/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de maio de 2014 às 20h35.

São Paulo - A Wilson Sons comunica que a subsidiária Wilson Sons Ultratug Offshore (WSUT), no qual detém 50% de participação acionária, foi informada pela Petrobras que, como resultado da sexta rodada do Programa de Renovação da Frota de Apoio Marítimo, obteve contratos de afretamento de dois Platform Supply Vessels (PSVs), com deadweight de 4.500 toneladas por um período de seis anos, com possibilidade de renovação por igual período.

As duas embarcações serão construídas no estaleiro da Wilson Sons, no Guarujá (SP), e têm a data limite de entrega até o ano de 2017. Além destas, a Wilson Sons, em conjunto com seu parceiro Remolcadores Ultratug, tem encomendado outros três PSVs junto a um estaleiro no exterior.

"Estes contratos solidificam a estratégia da companhia em atender à demanda impulsionada pelo crescimento da indústria de óleo e gás no Brasil. Atualmente, a frota operada pela Wilson Sons Ultratug Offshore é composta por 19 embarcações de apoio offshore, todas em contratos com a Petrobras", informou a companhia, em comunicado enviado nesta segunda-feira, 5, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Acompanhe tudo sobre:EnergiaIndústriaIndústria do petróleoPetróleoSetor de transporteWilson Sons

Mais de Negócios

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Mais na Exame