Negócios

Webjet cancela mais oito voos na manhã de hoje

Na última segunda-feira, a Webjet cancelou quase metade dos voos por problemas na escala de trabalho dos funcionários

Avião da Webjet: problemas na escala de trabalho dos funcionários causa transtorno a clientes (.)

Avião da Webjet: problemas na escala de trabalho dos funcionários causa transtorno a clientes (.)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h47.

São Paulo - Dos 22 voos da Webjet programados para a manhã desta terça-feira oito foram cancelados. Em nota, a empresa informou que os voos foram "previamente cancelados pela companhia ao longo do mês de setembro" e que entrou em contato com os passageiros que já haviam comprado os bilhetes, informando-os sobre o cancelamento.

A empresa afirmou que os passageiros foram reacomodados em outros voos da própria Webjet e em voos de outras companhias.

"A decisão da Webjet em cancelar de forma programada esses voos permite que a situação dos passageiros nos aeroportos seja tranquila, pois os usuários são recebidos por funcionários da empresa, que os informam sobre a situação e os orientam para se dirigirem aos balcões das outras companhias que firmaram acordo com a Webjet", diz a nota.

A Webjet cancelou ontem quase metade dos voos por problemas na escala de trabalho dos funcionários. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu intervir e suspendeu a venda de bilhetes da companhia para voos programados até sexta-feira. O prazo ainda pode ser estendido, caso a Webjet não ajuste a escala.

Leia mais notícias sobre o setor de aviação

Acompanhe as notícias de Negócios do site EXAME no Twitter

Acompanhe tudo sobre:AnacAviaçãoAviõesPrejuízoSetor de transporte

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame