• AALR3 R$ 20,07 0.00
  • AAPL34 R$ 70,16 2.54
  • ABCB4 R$ 16,71 0.30
  • ABEV3 R$ 14,24 0.21
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,94 0.18
  • AGRO3 R$ 31,73 0.92
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,57 3.82
  • ALUP11 R$ 26,42 -0.30
  • AMAR3 R$ 2,56 -1.16
  • AMBP3 R$ 32,06 -0.90
  • AMER3 R$ 21,58 0.37
  • AMZO34 R$ 3,44 1.78
  • ANIM3 R$ 5,53 -0.36
  • ARZZ3 R$ 82,66 1.71
  • ASAI3 R$ 15,92 -1.06
  • AZUL4 R$ 20,96 0.05
  • B3SA3 R$ 12,74 2.66
  • BBAS3 R$ 37,11 -0.93
  • AALR3 R$ 20,07 0.00
  • AAPL34 R$ 70,16 2.54
  • ABCB4 R$ 16,71 0.30
  • ABEV3 R$ 14,24 0.21
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,94 0.18
  • AGRO3 R$ 31,73 0.92
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,57 3.82
  • ALUP11 R$ 26,42 -0.30
  • AMAR3 R$ 2,56 -1.16
  • AMBP3 R$ 32,06 -0.90
  • AMER3 R$ 21,58 0.37
  • AMZO34 R$ 3,44 1.78
  • ANIM3 R$ 5,53 -0.36
  • ARZZ3 R$ 82,66 1.71
  • ASAI3 R$ 15,92 -1.06
  • AZUL4 R$ 20,96 0.05
  • B3SA3 R$ 12,74 2.66
  • BBAS3 R$ 37,11 -0.93
Abra sua conta no BTG

Vale entra com ação de US$1,2 bi em disputa sobre projeto na Guiné

Mineradora brasileira acusa a BSGR, uma companhia de propriedade do bilionário israelense Beny Steinmetz, de fraude e violações de garantias
Vale: empresa vai à Justiça e pede indenização bilionária (Getty Images/Brendan McDermid)
Vale: empresa vai à Justiça e pede indenização bilionária (Getty Images/Brendan McDermid)
Por ReutersPublicado em 24/04/2019 09:56 | Última atualização em 24/04/2019 09:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo — A Vale entrou com um processo judicial contra a BSG Resources Limited (BSGR) para fazer cumprir uma decisão arbitral contra a empresa no valor de mais de 1,2 bilhão de dólares, ou mais de 2 bilhões de dólares, se considerados juros e despesas, em disputa relacionada a um projeto na Guiné, informou a mineradora em comunicado nesta quarta-feira, 24.

Conforme a companhia, o processo judicial foi protocolado na terça-feira na corte distrital do Southern District de Nova York, e a decisão arbitral havia sido proferida em 4 de abril por um tribunal de arbitragem sob os auspícios da London Court of International Arbitration.

A decisão arbitral veio após a Vale acusar a BSGR, uma companhia de propriedade do bilionário israelense Beny Steinmetz, de fraude e violações de representação e garantias. A mineradora brasileira diz que foi induzida a comprar da BSGR participação de 51 por cento em concessões para desenvolver o que é reportado como sendo o maior depósito inexplorado de minério de ferro do mundo, em Simandou, na República da Guiné, e na concessão adjacente de Zogota.

A Vale pagou um preço inicial de 500 milhões de dólares e investiu mais de 700 milhões de dólares no negócio, principalmente em Zogota, até que o governo da Guiné revogasse as concessões, com base em evidências de que a BSGR as teria obtido através de atos de corrupção envolvendo autoridades da República da Guiné.

"O governo da Guiné concluiu de forma explícita que a Vale não participou de forma alguma nesses atos de corrupção da BSGR", diz a mineradora no comunicado.

A Vale acrescentou que "entrou e irá entrar" com processos judiciais em outros países para fazer cumprir a decisão arbitral contra a BSGR e contra pessoas conectadas ao caso devido às perdas causadas à companhia.