Negócios

Sonae Sierra Brasil registra prospecto preliminar na CVM

Terceira maior operadora de shopping centers do país engrossa a fila de pretendentes à abertura de capital

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de fevereiro de 2011 às 12h19.

A empresa de construção e administração de shopping centers Sonae Sierra Brasil protocolou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na última terça-feira (2/3) um pedido de registro de distribuição pública primária de ações. A oferta inclui a distribuição dos papéis em mercado de balcão não-organizado, a ser realizado no Brasil, além de esforços para colocação de ações no exterior, junto a investidores estrangeiros. A operação também prevê a distribuição de um lote suplementar de ações, na proporção de 15% dos papéis inicialmente ofertados. O banco Credit Suisse é o coordenador líder do negócio.

No prospecto preliminar registrado na CVM, a companhia informa que pretende utilizar os recursos arrecadados na oferta em novos projetos de shoppings centers no país, na expansão dos empreendimentos existentes e na aquisição de participação adicional nos centros de compras que a companhia já mantém em seu portfólio. A Sonae Sierra Brasil, segundo o prospecto, é a terceira maior companhia de shoppings centers do Brasil em Área Bruta Locável (ABL). Atualmente, a companhia administra dez shoppings em cidades de São Paulo, Brasília e Manaus, e está construindo três novos empreendimentos (Uberlândia, Londrina e Goiânia). No ano passado, teve receita líquida de 154,1 milhões de reais. De acordo com o grupo, as vendas de seus shoppings crescem a uma média anual de 13,2% nos últimos três anos. O grupo Sonae Sierra é controlado pela companhia portuguesa Sonae Sierra, que possui shoppings principalmente na Europa, e pelo fundo de investimento imobiliário americano DDR.

Acompanhe tudo sobre:Açõesbens-de-consumoComércioEmpresasEmpresas portuguesasIndústriaIPOsMercado financeiroShopping centersSonae SierraVarejo

Mais de Negócios

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Mais na Exame