A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Setor de energia dos EUA agora tem menos empresas 'zumbis'

O número de empresas de energia dos Estados Unidos que não lucraram o suficiente nos últimos 12 meses para cobrir despesas com juros encolheu de 82 para 78 antes da última temporada de balanços

Por Gerson Freitas Jr., da Bloomberg

Menos empresas “zumbis” perseguem o setor de energia com a recuperação da indústria do colapso da demanda causado pela pandemia.

O número de empresas de energia dos Estados Unidos que não lucraram o suficiente nos últimos 12 meses para cobrir despesas com juros encolheu de 82 para 78 antes da última temporada de balanços, segundo dados compilados pela Bloomberg. Operadoras de oleodutos como Kinder Morgan e Targa Resources e produtoras de gás de xisto como CNX Resources e Comstock Resources estão entre as que saíram da lista.

Sob o impacto da queda dos preços do petróleo no ano passado, o setor de energia tem a maior concentração das chamadas empresas zumbis. O grupo, que inclui gigantes como Chevron e Exxon Mobil, ainda responde por cerca de 70% de todas as empresas de petróleo e gás do índice Russell 3000. Mas o pior parece ter passado para a indústria diante da retomada após o abalo da pandemia, puxando a demanda e ajudando a recuperar os lucros e o fluxo de caixa.

As empresas zumbis são caracterizadas pela tendência de não lucrar o suficiente para se livrar do peso das obrigações, mas ainda possuem acesso suficiente ao crédito para rolar as dívidas. Às vezes, são um obstáculo para a economia porque os ativos são mantidos em empresas que não têm recursos para investir e desenvolver seus negócios. No entanto, nem toda empresa que se torna zumbi está destinada a permanecer assim para sempre.

A Kinder Morgan, por exemplo, saiu da lista depois de registrar lucro recorde no primeiro trimestre devido às vendas de gás natural altamente rentáveis durante a histórica tempestade de inverno que afetou o Texas. A empresa, que opera uma ampla rede de dutos e terminais de combustíveis, deve registrar quase 4,5 bilhões de dólares em lucro operacional neste ano, mais que o dobro do ano passado, segundo a média de estimativas de analistas compiladas pela Bloomberg. Exxon e Chevron também devem gerar lucros mais do que suficientes para pagar o serviço das dívidas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também