Negócios

Sem caneta e bloco de notas: Em 5 anos, ela fatura mais de R$1 milhão com kits personalizados

A Beijo Tchau Presentes, criada em 2019, trabalha com brindes, press kits e comunicação visual personalizada

Líbini Araújo, da Beijo Tchau Presentes: "Para mim, nenhum cliente é igual e manter a confiança no meu trabalho e segurança nas decisões que tomo é prioridade" (Beijo Tchau Presentes/Divulgação)

Líbini Araújo, da Beijo Tchau Presentes: "Para mim, nenhum cliente é igual e manter a confiança no meu trabalho e segurança nas decisões que tomo é prioridade" (Beijo Tchau Presentes/Divulgação)

Estímulo
Estímulo

Estímulo

Publicado em 11 de maio de 2024 às 09h01.

Tudo sobreEstímulo
Saiba mais

Canecas, moleskine e canetas personalizadas estão na lista dos brindes mais corriqueiros - até por isso, ninguém aguenta mais. O trabalho de Líbini Araújo, de 42 anos, é evitar essa sensação de desconforto de quem recebe e pensar em brindes que brilhem os olhos dos presenteados.

Ela é a fundadora da empresa Beijo Tchau Presentes, que aposta em brindes, press kits e comunicação visual personalizada. O negócio nasceu em 2018 de forma despretensiosa quando uma amiga pediu para que ela confeccionasse kits de presente para uma empresa do mercado de pagamentos.

Bem-sucedido, o projeto reacendeu em Araújo a ideia de voltar ao setor de brindes personalizados, no qual já tinha investido em 2009. As encomendas começaram a aparecer e ela bateu o martelo: abriu uma nova empresa para regularizar a situação e ter a possibilidade de atender grandes clientes.

Qual é o diferencial da empresa de brindes

Além de criar os brindes, a missão de Líbini é entender o que os clientes precisam, sugerir mudanças e adicionar novos detalhes aos projetos.

“É exatamente por isso que muitas vezes ganho uma concorrência. Para mim, nenhum cliente é igual e manter a confiança no meu trabalho e segurança nas decisões que tomo é prioridade para ter resultados de sucesso”, afirma Araújo. No ano passado, a Beijo Tchau Presentes faturou R$ 1,2 milhão.

Com o crescimento da iniciativa, Líbini direcionou a produção também para a área de brindes e press kits. Diante dos novos clientes e desafios propostos - cada vez mais complexos e com menor prazo - pela falta de equipamentos, ela terceirizava muitos processos. 

Decidiu tomar o caminho oposto e verticalizar a operação: comprou pequenas impressoras, uma máquina de corte, ferramentas para agilizar algumas personalizações e até conseguiu financiar uma impressora de sublimação. 

“Eu não tinha funcionários, fazia tudo sozinha com minha primeira filha ainda bebê engatinhando por todo o ateliê. Minha mãe e meu padrasto me ajudavam sempre que podiam, até que veio a pandemia. Fiz dívidas no banco e me comprometi demais para não ter que voltar atrás no que estava conquistando”, diz. 

O espaço em que trabalhava logo ficou apertado e Líbini precisou alugar uma sala comercial. Em busca de referências, ela também investiu em plataformas digitais, acompanhou influencers do setor e assistiu muitos vídeos técnicos para aprimorar o conhecimento. 

Com o crescimento, contratou 2 funcionários e resolveu arriscar usando uma plataforma de crédito digital, colocando seu carro como garantia. O dinheiro foi usado para adquirir a sua primeira máquina mais potente de gravação e corte a laser.

Como a empresa tem crescido

Hoje o negócio é focado em press kits e soluções completas para ações de marketing, lançamentos de produtos, presentes especiais e brindes diferenciados. A empreendedora conta que há muitas situações em que o cliente quer oferecer uma experiência e vincular isso ao produto dele, com itens personalizados e até com uma dinâmica aparentemente impossível.

“Exemplo disso é o case de uma marca de ração para animais, com uma caixa cofre  específica. Foram vários testes e mudanças na lógica para funcionar exatamente como o cliente queria e conseguimos executar. Foi incrível”, afirma.

De 2019 para cá, a empresa apresenta um ritmo de crescimento contínuo. Em 2020, o primeiro ano cheio, o faturamento foi de R$134.000, valor que saltou para R$605.000 em 12 meses. Após avançar para 1,2 milhão em 2023, a expectativa para este ano é chegar a R$ 1,5 milhão - nos primeiros dois meses, a empresa já faturou mais de R$500.000.

Como o Estímuo entrou no negócio

Depois da dívida que fez usando seu carro para comprar uma nova máquina, Líbini precisou de ajuda para recuperar o fôlego financeiro da empresa. 

Nesse processo, o fundo de impacto Estímulo desempenhou papel fundamental, fornecendo crédito facilitado e orientação de negócio: na primeira vez em 2020 com o valor de R$22.500 e mais R$100 mil em 2024. 

“Usei o crédito para  investir na empresa, nas frentes de crescimento e manutenção. Na primeira vez, eu paguei o débito do equipamento com o qual vinculei o meu carro. Nesta última, comprei um novo equipamento de impressão de alta qualidade,  antes terceirizado”, afirma. 

A empreendedora conta que a empresa continua seguindo tendências e até prestando serviços para outros empreendedores menores que não têm condições de investir em equipamentos profissionais. Eles comercializam impressões e demais serviços que podem ajudar quem está começando no segmento. Hoje, a Beijo Tchau Presentes atende várias agências, empresas e até pessoas físicas que precisam de presentes ou serviços.

Clique aqui para inscrever sua empresa no ranking EXAME Negócios em Expansão 2024

Acompanhe tudo sobre:ComunicaçãoPresentesPresentes criativos

Mais de Negócios

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Rivais do salmão: pescados da Amazônia ganham espaço em restaurantes badalados do eixo Rio-SP

Mais na Exame