Quem é o francês que ganhou US$ 82 bilhões em 2 anos

Seu patrimônio saltou de 76 bilhões de dólares em 2020 para 158 bilhões de dólares em 2022 e ele é o terceiro mais rico do mundo
O bilionário francês Bernard Arnault: 82 bilhões dólares em 2 anos (Philippe LOPEZ/Getty Images)
O bilionário francês Bernard Arnault: 82 bilhões dólares em 2 anos (Philippe LOPEZ/Getty Images)
Por Mariana DesidérioPublicado em 22/04/2022 09:03 | Última atualização em 22/04/2022 09:03Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O bilionário francês Bernard Arnault conseguiu dobrar a sua fortuna entre 2020 e 2022. Ele é dono do conglomerado de luxo LVMH, que detém marcas como Louis Vuitton e Dior.

Bilionário sem casa? Elon Musk diz que dorme na casa de amigos

Quem é o cardiologista entre os 5 maiores bilionários do país

Seu patrimônio saltou de 76 bilhões de dólares em 2020 para 158 bilhões de dólares em 2022. Com isso, Arnault passou Bill Gates já pelo segundo ano consecutivo (que em 2020 tinha 98 bilhões de dólares e hoje tem 129 bilhões), e é a terceira pessoa mais rica do mundo, segundo a mais recente lista de bilionários da Forbes.

O rápido avanço do patrimônio de Arnault veio após um dos maiores joalheria Tiffany por mais de 15 bilhões de dólares, em um processo que teve desentendimentos públicos até chegar a um desfecho.

O negócio ajudou a consolidar o império do luxo construído por Bernard Arnault ao longo de mais de três décadas, com mais de 75 marcas, dentre elas Luis Vuitton, Marc Jacobs, Bulgari, Sephora e a própria Tiffany. O grupo teve receita de 64,2 bilhões de euros em 2021.

Conhecido por sua gana por vencer, estudou engenharia, assim como o pai e atuava na empresa da família, no ramo imobiliário. Ele entrou no setor de luxo na década de 1980, quando decidiu disputar a licitação pelo Boussac, conglomerado que era dono da marca Christian Dior.

Pouco tempo depois de assumir a companhia, o empresário demitiu nove mil funcionários e se desfez da maior parte dos ativos da empresa, mantendo a marca Dior. Os cortes renderam ao empresário o apelido de “exterminador do futuro”.

Em 1989, Arnault assumiu outra empresa do setor de luxo, a LVMH, resultado da fusão entre a empresa de moda Louis Vuitton e o produtor de bebidas Moët Hennessy. Ele havia investido no negócio, mas passou a discordar da gestão da companhia, e conseguiu tirar o então presidente da empresa do poder.

Essa e outras batalhas nos negócios renderam a Arnault apelidos como “Lobo de Cashmere” e “Sun Tzu do Luxo”.