A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Petrobras estima 3,3 bi barris de petróleo em área de Libra

Na declaração encaminhada ao órgão regulador, o nome sugerido para o novo campo é Mero, disse a empresa

Rio de Janeiro - A Petrobras apresentou nesta quinta-feira à agência reguladora do setor de petróleo no Brasil (ANP) a declaração de comercialidade na porção noroeste do bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, apontando volume recuperável de 3,3 bilhões de barris de petróleo, informou a empresa em nota.

Na declaração encaminhada ao órgão regulador, o nome sugerido para o novo campo é Mero, disse a empresa.

Libra, considerada a maior reserva de petróleo do Brasil, foi a primeira área a ser licitada sob regime de partilha de produção no Brasil em 2013 --o bloco foi arrematado pelo consórcio liderado pela Petrobras, com participação de 40 por cento, em parceria com a anglo-holandesa Shell (20 por cento), a francesa Total (20 por cento), além das chinesas CNPC (10 por cento) e CNOOC Limited (10 por cento).

O primeiro óleo da área foi produzido nesta semana, por meio de um teste de longa duração, após atraso de alguns meses. Em sua última previsão, a Petrobras estimava iniciar a produção na região em julho deste ano.

Por outro lado, a entrega da declaração de comercialidade aconteceu dentro do prazo regulatório.

A Petrobras reiterou nesta quinta-feira que o consórcio planeja dar continuidade ao desenvolvimento da produção por meio de quatro novos sistemas de produção a serem instalados no campo de Mero e dará continuidade à fase exploratória do restante da área de Libra, cujo prazo foi estendido por mais 27 meses.

Em seu atual plano de negócios, a Petrobras prevê a entrada em operação da próxima plataforma de Libra em 2020. Entretanto, até o momento não conseguiu contratar o equipamento, devido a dificuldades encontradas para conseguir permissão para não cumprir percentuais de conteúdo local previstos em contrato.

O campo de Mero está localizado a cerca de 180 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, em águas ultra profundas e apresenta reservatórios de carbonato de alta qualidade com alta produtividade.

Durante a fase exploratória e de avaliação, oito poços de extensão foram perfurados na área do PAD, identificando reservatórios com óleo de boa qualidade e alto valor comercial, com 29 graus API.

Quanto maior o grau API, mais leve é considerado o petróleo. Atualmente, o grau API médio do Brasil gira em torno de 26,9º.

A Petrobras informou ainda que foi submetido à ANP o Relatório Final do Plano de Avaliação da Descoberta do poço 2-ANP-2A-RJS, descobridor do reservatório de Libra em 2010.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também