Negócios

Na RD Station, a “quase unicórnio” de SC, os eventos são a nova fronteira do marketing

Empresa de marketing e software para pequenas empresas, a RD Station organiza há quase 10 anos o RD Summit; edição de 2022 deve reunir 12 mil pessoas para discutir futuro do marketing

Eric Santos, CEO da RD Station: aposta em eventos para ampliar carteira de clientes (RD Station/Divulgação)

Eric Santos, CEO da RD Station: aposta em eventos para ampliar carteira de clientes (RD Station/Divulgação)

A incursão em nichos fora de suas áreas de expertise pode ser um tiro no pé para muitas empresas. O cenário mais comum é o de testes malsucedidos que resultam em produtos e serviços que costumam não decolar, e alguns poucos casos de sucesso resultantes do desejo em se aventurar em áreas fora da zona de conforto. Essa segunda narrativa é bem familiar à RD Station, empresa de marketing para pequenas e médias empresas.

Especialista em criação de softwares como serviço (Saas, na sigla do mercado) para PMEs, a RD decidiu antecipar uma tendência considerada pela empresa como indispensável no mercado de marketing e das startups como um todo: os eventos de inovação e tecnologia.

Dessa percepção nasceu, em 2013, o RD Summit, evento de tecnologia e marketing promovido pela companhia.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

Quando surgiu o RD Summit

A ideia, à época, era educar uma população ainda pouco familiarizada com conceitos de marketing, aqueles aplicados na prática pela RD. Por outro lado, havia também a ideia de disseminar as boas práticas e tornar populares as histórias de sucesso no setor, especialmente as que aconteciam dentro do berço tecnológico do Sul do país.

De lá para cá, o evento cresceu numa proporção que nem mesmo a própria RD esperava. O público saltou de 250 pessoas para mais de 13.000, número de visitantes da última edição presencial, em 2019. Hoje, o RD Summit se tornou o maior evento do tipo na América do Sul.

“Víamos um ecossistema se desenvolvendo, mas nenhum ponto de encontro para aquelas personalidades que estavam se desenvolvendo no meio”, diz Eric Santos, CEO da companhia, em entrevista exclusiva à EXAME às vésperas da oitava edição do evento.

Em 2022, a expectativa da RD é receber cerca de 12.000 pessoas. Em suma, executivos com alguma relação com as áreas de marketing em grandes empresas, fundadores de startups e funcionários de agências de marketing dispostos a discutir o que há de mais inédito para esse mercado.

“Esse espírito e desejo de manter o ecossistema ativo é o que nos move a continuar promovendo o RD Summit, só que em escala ainda maior”, diz.

LEIA TAMBÉM: Floripa quer criar os novos líderes de TI do Brasil — mas hoje eles são apenas crianças

Por que apostar em eventos

Do ponto de vista do conteúdo, a ideia é trazer o que há de mais novo, com discussões de tópicos “quentes” para o mercado de marketing e vendas como um todo. Na lista de assuntos em alta neste ano estão as parcerias entre marcas e influenciadores e questões ligadas à produção de vídeo — uma tendência fomentada pela pandemia e por aplicativos virais, como o TikTok.

Alguns temas que fogem inclusive dessas temáticas, mas que são pertinentes à rotina de empreendedores — público-alvo da RD — também estão na pauta. Entre eles captação de recursos e diversidade e inclusão.

Também são esperadas palestras que abordem o conversational commerce, uma vertical do marketing que acontece pela troca de mensagens, muitas vezes pelo WhatsApp. Trata-se de um tema com forte apelo, inclusive na RD. Em 2022, a companhia comprou a Tallos, startup do segmento, por R$ 6,7 milhões, como forma de adentrar de vez o universo das mensagens.

Se de um lado a expectativa é manter a todos atualizados sobre o que é esperado — e criado — pelo mercado, de outro há a ambição de abusar do networking para ampliar a carteira de clientes. A lógica está em firmar novos contratos e parcerias a partir das conexões feitas durante os dias de programação. "Muitas empresas se sentem tão impactadas durante o evento que acabam se tornando clientes depois disso, é um ciclo virtuoso", diz.

"É difícil mensurar o benefício do RD Summit para nós, mas posso afimar com certeza que é um investimento inteligente, pois o evento é praticamente autosustentável".

LEIA TAMBÉM: Sebrae elege Santa Catarina como seu 'epicentro' de startups no Brasil

Um boom na economia local

Atualmente o RD Summit é um dos maiores eventos de empreendedorismo e tecnologia a acontecer na ilha catarinense de Florianópolis. Na edição de 2019, o evento reuniu 13.000 pessoas.

Na esteira desse sucesso e da retomada definitiva dos grandes eventos, outras conferências passam a adotar a cidade como seu principal ponto de encontro e sede para reuniões de grande porte. O caso mais recente é o do Startup Summit,  evento do Sebrae, da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) e da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), que reuniu ao menos 5.000 pessoas em agosto deste ano.

“É um efeito colateral que jamais imaginaríamos ter”, diz Santos. “Essa é talvez nossa principal contribuição para o ecossistema local. Fomentar o turismo de negócios, fora das altas temporadas, é algo gigante e que Florianópolis vem tentando fazer há um tempo”.

Da porta para dentro, a intenção da RD Station é também ser capaz de gerar algum impacto. Para isso, todos os envolvidos na organização do evento, do credenciamento à montagem de palcos, são funcionários diretos da RD — um time de 800 colaboradores.

VEJA TAMBÉM

De Itá para o mundo: conheça a Gelnex, empresa de SC comprada por R$ 6,4 bilhões em negócio do ano

Acompanhe tudo sobre:estrategias-de-marketingExame-sulFlorianópolisStartups

Mais de Negócios

Apple mantém diálogos com concorrente Meta sobre IA

30 franquias baratas para começar a empreender a partir de R$ 9.500

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Mais na Exame