Lucro do Rodobens chega a R$ 20 mi no 2º trimestre

Receita líquida no trimestre atingiu R$ 168,1 milhões, menor que os R$ 190,7 milhões de 2013

	Operários em construção: variação da receita é explicada principalmente pela menor evolução das obras no período
 (Alexandre Battibugli / VOCÊ S/A)
Operários em construção: variação da receita é explicada principalmente pela menor evolução das obras no período (Alexandre Battibugli / VOCÊ S/A)
K
Karin Sato e Circe BonatelliPublicado em 11/08/2014 às 18:59.

São Paulo - O lucro líquido da Rodobens Negócios Imobiliários chegou a R$ 20,054 milhões no segundo trimestre deste ano, com alta de 47% na comparação com igual período de 2013.

O Ebitda ajustado atingiu R$ 32,190 milhões no período, o que representa queda de 8%, na mesma base comparativa.

A Receita líquida no trimestre atingiu R$ 168,1 milhões ante R$ 190,7 milhões no segundo trimestre de 2013.

A variação da receita no período é explicada principalmente pela menor evolução das obras no período e pela redução no volume de vendas em razão do evento Copa do Mundo, diz a empresa.

Dados operacionais

Segundo dados operacionais já divulgados pela Rodobens Negócios Imobiliários, foram lançados projetos com valor geral de vendas (VGV) total de R$ 162 milhões entre abril e junho deste ano, com recuo de 21,36% na comparação com igual período do ano passado, de acordo com relatório operacional prévio, divulgado nesta segunda-feira, 11.

A participação da companhia nos lançamentos do segundo trimestre de 2014 foi de 73%, fatia abaixo dos 100% registrados no mesmo trimestre de 2013.

Entre abril e junho foram lançados três empreendimentos: o Integrato Iguatemi (São José do Rio Preto-SP) e o La Piazza (Fortaleza-CE) no segmento de incorporação residencial, e um loteamento em Feira de Santana-BA", informou a empresa.

As vendas contratadas totais atingiram R$ 135 milhões no segundo trimestre deste ano, o que equivale a um declínio de 52,5% na comparação com igual período do ano passado.

A participação da Rodobens nas vendas subiu de 81% para 86%.

A velocidade de vendas (VSO) atingiu 16% no segundo trimestre, nível abaixo dos 18% do primeiro trimestre. Os projetos recém-lançados representaram 29% das vendas no segundo trimestre, ante 5% no primeiro trimestre.