Lucro da Solvay sobe por fraturamento e matérias-primas

olvay divulgou nesta quinta-feira uma alta de 9,5 por cento no lucro principal no terceiro trimestre

Bruxelas - A Solvay divulgou nesta quinta-feira uma alta de 9,5 por cento no lucro principal no terceiro trimestre, impulsionado pela demanda maior por fluídos para fraturamento hidráulico no setor de petróleo e gás dos Estados Unidos e uma queda no custo de matérias-primas.

Em entrevista coletiva para falar sobre o resultado da empresa, o presidente-executivo, Jean-Pierre Clamadieu, também comentou a notícias da quarta-feira de que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) reprovou a venda do grupo latino-americano produtor de PVC e soda Solvay Indupa à Braskem.

"Nossa determinação de encontrar uma solução está intacta. Ainda existem algumas soluções sobre a mesa, mas teremos que reiniciar um processo inteiro", disse Clamadieu.

Clamadieu disse também que espera que o crescimento na base anual da Solvay continue no quarto trimestre, embora os meses finais sejam normalmente mais fracos uma vez que as empresas fecham para o Natal e buscam cortar estoques até o final do ano.

"Estamos olhando muito cuidadosamente para o ambiente macroeconômico, mas não vemos hoje um risco significativo a esta orientação,", disse ele em coletiva de imprensa.

O lucro principal, lucro recorrente antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Rebitda), ficou em 458 milhões de euros (570,2 milhões de dólares), ligeiramente acima da estimativa média de 452 milhões de euros em pesquisa da Reuters com analistas.

A Solvay repetiu a projeção de que o Rebitda terá crescimento percentual de um dígito ante 1,61 bilhão de euros em 2013 em reapresentação.

A companhia também anunciou um dividendo intermediário bruto inalterado de 1,33 euro por ação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.