Negócios

Lucro da Heineken sobe 11% e vendas têm alta inesperada

Empresa anunciou que manteve as expectativas para o ano inalteradas

Heineken: analistas previam queda de 0,5% nas vendas (Eric Gaillard/Reuters/Reuters)

Heineken: analistas previam queda de 0,5% nas vendas (Eric Gaillard/Reuters/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 19 de abril de 2017 às 07h14.

Última atualização em 5 de novembro de 2019 às 15h07.

Amsterdã - A Heineken, segunda maior cervejaria do mundo em vendas, divulgou hoje que teve lucro líquido de 293 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, 11% maior que o ganho de igual período de 2016.

Na mesma comparação, as vendas orgânicas de cerveja subiram 0,6%, impulsionadas pelos resultados na Europa e na região da Ásia e do Pacífico.

O dado de vendas surpreendeu, uma vez que analistas previam queda de 0,5% no último trimestre.

Em fevereiro, a Heineken anunciou a compra da Brasil Kirin, fabricante das marcas Schin, Baden Baden e Eisenbahn. A empresa prevê concluir a aquisição ainda no primeiro semestre de 2017.

A Heineken, que obtém cerca de dois terços de seu lucro em mercados emergentes, informou também que suas expectativas para o ano continuam inalteradas.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Acompanhe tudo sobre:BalançosEisenbahnHeinekenLucro

Mais de Negócios

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Mais na Exame