LinkedIn tem alta das receitas com serviços de contratação

Prejuízo do LinkedIn atribuível a acionistas foi de 4,3 milhões de dólares, ou 0,03 dólar por ação, no trimestre

Bangalore - O site de networking corporativo LinkedIn divulgou um lucro líquido e receita trimestrais melhores que o esperado, com mais empresas utilizando seus serviços para contratar pessoal.

O negócio de contratação da companhia tem prosperado enquanto empregadores notam que seus serviços são mais úteis na avaliação de um candidato para um posto.

O forte crescimento nos negócios de contratação e a rápida expansão em mercados internacionais como a China são considerados por analistas os principais guias de crescimento para a companhia nos próximos trimestres.

A receita do negócio de contratação do LinkedIn, chamado Talent Solutions, cresceu 45 por cento no terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro, representando 61 por cento da receita total.

O prejuízo do LinkedIn atribuível a acionistas foi de 4,3 milhões de dólares, ou 0,03 dólar por ação, no trimestre, de 3,4 milhões de dólares, ou 0,03 dólar por ação, um ano antes. Excluindo itens extraordinários, o lucro do LinkedIn foi de 0,52 dólar por ação.

As receitas subiram 45 por cento, para 568,3 milhões de dólares.

A média dos analistas esperava lucro de 0,47 dólar por ação e receitas de 557,6 milhões de dólares.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.