Fortuna de Carlos Slim diminui com desvalorização do peso

Os esforços de Slim para afastar seus investimentos do México não foram rápidos o suficiente para evitar sua queda no ranking das pessoas mais ricas do mundo

Os esforços do bilionário Carlos Slim para afastar seus investimentos do México não foram rápidos o suficiente para evitar sua queda no ranking das pessoas mais ricas do mundo.

Slim, 76, viu sua fortuna diminuir US$ 2,1 bilhões neste ano porque o peso mexicano registrou a maior desvalorização entre as principais moedas do mundo e no mês passado as ações de sua gigante do setor de telecomunicações, a América Móvil, sofreram a maior queda diária em oito anos. Ele agora é a oitava pessoa mais rica do mundo, depois de ter ocupado o terceiro lugar do ranking em setembro.

Slim tentou se expandir na Europa, inclusive com uma oferta recente pela espanhola Fomento de Construcciones y Contratas. No entanto, uma fatia significativa de seu patrimônio provém da América Móvil. A operadora wireless, que está enfrentando medidas antitruste em seu mercado natal, registra suas vendas em pesos, embora opere em toda a América Latina e em outros mercados, e isso pesou nos resultados.

O peso se desvalorizou 6,7 por cento frente ao dólar neste ano e registra uma queda de 18 por cento nos últimos 12 meses, colocando o patrimônio de Slim, de US$ 50,1 bilhões, em desvantagem diante de seus colegas bilionários. Isso elevou os custos de fazer negócios.

“Fica muito mais caro operar”, disse José Otero, diretor para a América Latina e o Caribe da 5G Americas. “Tudo – do equipamento usado para a infraestrutura aos telefones celulares – é pago pela empresa em moeda forte” como dólares e euros.

Arturo Elías Ayub, porta-voz de Slim, não respondeu a um telefonema em busca de comentários.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.