Encerramento de negócio entre Nokia e Microsoft é adiado

A Nokia não espera fechar a venda de seu negócio de telefonia à Microsoft até abril

Helsinque - A Nokia não espera fechar a venda de seu negócio de telefonia à Microsoft até abril, à medida que conversas com reguladores asiáticos arrastam-se, disse a companhia nesta segunda-feira, alimentando especulações de que poderá ter que fazer mais concessões para ver o negócio feito.

Analistas disseram que o atraso significa que a Nokia, que esperava fechar o negócio até o final de março, poderá ter que fazer concessões sobre as taxas de licença que irá cobrar sobre patentes que permanecerão com a empresa finlandesa depois que o negócio for fechado.

No início deste mês, reportagens na mídia afirmaram que o Google e a Samsung Electronics tinham pedido a reguladores chineses para garantir que o negócio de 5,4 bilhões de euros (7,4 bilhões de dólares) entre a Microsoft e a Nokia não levasse a taxas de licenciamento mais altas.

"(O atraso) é um mau sinal. Eles têm discutido com as autoridades há um bom tempo, e ainda precisam de mais tempo", disse Sami Sarkamies, analista da Nordea Markets.

Sem a sua deficitária divisão de celulares, a Nokia irá no futuro obter mais de 90 por cento de suas vendas com a unidade de equipamentos de telecomunicações Nokia Services and Network, e também terá um acervo de patentes de tecnologia, bem como uma unidade de software de navegação.

A expectativa é que a Nokia revele sua nova estratégia após o fechamento do acordo com a Microsoft.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.