Com novo modelo, Maislaser quer alcançar 500 franquias e internacionalização

O sócio Sidney Eduardo Kalaes revela planos de expansão e novidades da rede de estética
Neste ano, a previsão da Maislaser é de alcançar 300 franquias e faturar R$ 250 milhões (Maislaser/Divulgação)
Neste ano, a previsão da Maislaser é de alcançar 300 franquias e faturar R$ 250 milhões (Maislaser/Divulgação)
I
Isabela RovarotoPublicado em 02/08/2022 às 07:00.

Fundada em 2018, a Maislaser conta com 240 unidades e tem a meta de chegar em 500 até a metade de 2024. Para isso, a rede de franquias lançou um modelo menor para cidades de até 100 mil habitantes. Além disso, a marca quer abrir a primeira clinica no exterior. 

O empresário Wlamir Bello, a apresentadora Ana Hickmann, e Sidney Eduardo Kalaes, presidente da holding Grupo Kalaes, são os sócios da Maislaser.

“Lançamos um modelo de R$ 450 mil, que envolve os mesmo serviços, porém, em um espaço menor e com uma equipe reduzida”, diz Kalaes.

Assine a newsletter EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras

Segundo o empresário, o Brasil possui milhares de cidades nesse porte e que recebem pouca oferta de franchising. Hoje, essa opção já representa 10% de todas as franquias da rede.

Sidney Eduardo Kalaes, sócio da rede de franquias Maislaser

Sidney Eduardo Kalaes, sócio da rede de franquias Maislaser (Maislaser/Divulgação)

A rede também mudou o ambiente online. Por conta da pandemia, a Maislaser criou um canal de vendas em seu site. Mesmo com a reabertura do comércio, essa modalidade ainda é utilizada pelos clientes. Segundo Kalaes, as vendas online representaram 12% dos R$ 110 milhões faturados em 2021.

Além disso, a Maislaser vai lançar em outubro um app próprio no qual o cliente vai poder agendar a acompanhar a evolução de seus tratamentos.

Novos procedimentos

A rede de franquias atualizou o portfólio de procedimentos e os equipamentos utilizados. Kalaes destaca que o mercado de beleza é extremamente concorrido no Brasil e que é preciso promover mudanças para continuar atrativo.

Uma pesquisa de 2019 do Euromonitor Internacional colocou o Brasil como o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo.

Sete franquias mais baratas do que uma viagem para a Disney

Mercado Pago faz promoção de maquininhas para PMEs

A Maislaser incluiu o serviço de rejuvenescimento facial na sua grade. Segundo o executivo, este procedimento não é oferecido pelas outras redes do ramo, e diz que a oferta foi estratégica.

“Hoje ele já representa 9% do faturamento total da rede. É também uma nova forma de receita para o franqueado”, completa.

Já o equipamento, explica o empresário, é o mais moderno do mercado e atende todos fototipos de pele, incluindo a bronzeada.

Internacionalização

O maior desafio da rede é a internacionalização. Kalaes afirma que esse processo exige uma equipe e estrutura local para dar suporte aos franqueados.

No momento, Portugal e Colômbia são as duas primeiras opções da rede. A ideia é expandir no exterior por meio de um master franqueado.

O sócio da Maislaser revela que o mercado de depilação a laser nesses países funciona, basicamente, por meio de consultórios e que existem poucas marcas próprias apenas para este serviço.

“Já demos os primeiros passos se relacionando com executivos locais, que conhecem o franchising e estão nos ajudando nesse sentido”, conta.

Metas

Neste ano, a previsão da Maislaser é de alcançar 300 franquias e faturar R$ 250 milhões. De acordo com Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar cresceu 13,4% em faturamento no primeiro trimestre de 2022.

“Não fechamos sequer uma unidade ao longo da pandemia, portanto, vamos aproveitar a volta do crescimento do franchising para continuar a expansão e alcançar nossa meta de 500 lojas”, diz sócio da Maislaser.

VEJA TAMBÉM:

Como vender mais no Dia dos Pais: 3 dicas para impulsionar suas vendas

Esta startup faturou R$ 1,5 milhão em seis meses com app que "entrega de tudo"

Veja Também

205 negócios em expansão
Revista Exame
Há 2 semanas • 10 min de leitura

205 negócios em expansão