Cliente quer personalização e facilidade, diz nova CEO da Liberty Seguros

Patricia Chacon assume a presidência da Liberty Seguros no Brasil e fala primeiro à EXAME sobre os planos de personalização e desburocratização do mercado

Nesta segunda-feira, 12, Patricia Chacon faz seu primeiro evento no posto de presidente da Liberty Seguros Brasil, parte do Grupo Liberty Mutual, uma das maiores seguradoras do mundo. Trabalhando na Liberty Seguros na última década, com passagens em negócios para os Estados Unidos, América Latina e Europa, a executiva falou sobre os planos para a empresa nesta nova etapa da sua carreira. "Este será mais um passo da minha jornada na empresa em busca da aceleração digital com foco no cliente", diz.

Quer deixar de ser funcionário e começar a empreender? Encurte caminhos com o curso Inovação na Prática 

Chacon segue na liderança de projetos que oferecem experiências mais personalizadas no concorrido mercado de seguros do país. Um exemplo se dá com o produto Meu Momento de Vida, lançado em outubro, em meio ao aumento da procura de seguros de vida por conta da pandemia da covid-19. A  ferramenta 100% digital foi co-criada com os corretores parceiros da companhia, que participam do Conselho de Corretores, e tem como objetivo facilitar o processo de venda do seguro de vida, viabilizando o processo de contratação do produto de forma didática, ágil e personalizada.

"Trouxemos práticas de personalização já utilizadas em outras partes do mundo, como Singapura, com o objetivo de reinventar o mercado nacional. No Meu Momento de Vida o cliente consegue escolher a melhor opção a partir do tamanho da família, renda, e mais dados. Nos dois primeiros meses a plataforma recebeu 300 mil acessos, um número bastante relevante para nós. Além disso, o segmento de seguros de vida cresceu 30% em 2020 na Liberty".

Com foco em personalização a empresa também lança -- ainda em fase piloto -- o Auto Controle, seguro de veículos que cobra de acordo com a quilometragem rodada. "O cliente paga mensalmente apenas pelo quanto dirige, podendo ser até 50% mais econômico que o seguro comum, sendo o cálculo feito a partir de um rastreador colocado no veículo. Quem escolher esse tipo de serviço, continuará com todas as coberturas de um seguro tradicional, mas por um preço personalizado de acordo com a quilometragem percorrida". Segundo Chacon, 80% da receita da Liberty hoje vem do seguro veicular, mas no país só 30% dos veículos têm seguro, o que potencializa a oportunidade de crescimento da empresa.

Além da desburocratização e personalização, a executiva entende que o crescimento da empresa se deve a uma estratégia de parceria com outras empresas e também com corretores. Por isso, há um trabalho de oferecer, por exemplo, treinamento para mais de 40 mil corretores, bem como desenvolver uma plataforma que facilite o trabalho deles. Há cerca de 18 meses a empresa investe no portal Meu Espaço Corretor, em parceria com funcionários do Chile, Colombia, Equador, Espanha e Portugal. Nele, as funcionalidades e conteúdo são modificadas por inteligência artificial de acordo com o que o corretor mais trabalha ou o que precisa personalizar naquele momento. Assim, com uma estratégia que foca no desenvolvimento dos produtos com tecnologia e aprimoramento no trabalho dos corretores, a Liberty Seguros registrou no Brasil crescimento líquido em 44% em 2020.

Gestão

Mais do que desenvolver produtos e serviços, a Liberty Seguros está focada num modelo de gestão que trabalha com times multidisciplinares e técnicas ágeis. Com base nisso, a empresa inaugurou no Brasil, em 2019, o Solaria Labs, laboratório de inovação da companhia, em São Paulo. "O Brasil é a segunda maior operação da empresa fora dos Estados Unidos e o hub em São Paulo prova a importância do desenvolvimento de negócios por aqui -- há outros hubs na sede em Boston e Singapura -- já que conseguimos atender as necessidades de outros países e sofisticar a inovação", afirma Chacon.

Além disso, ao assumir a presidência da Liberty, Chacon reforça a importância da diversidade de gênero em cargos de liderança nas companhias do setor. " A Pesquisa da Escola Nacional de Seguros mostra que 54,8% do quadro total de funcionários das 23 maiores seguradoras do mercado são mulheres. No entanto, deste total, somente 25% estão em cargos de liderança. A Liberty está acima do mercado: 58% do quadro de funcionários é formado por mulheres e elas são 38% das líderes. A meta é a equidade", afirma.

Para ela, é importante seguir com o empoderamento feminino. "Há cinco anos temos o programa Mulheres Seguras, que busca criar equidade de gênero dentro e fora da empresa ao ensinar elas a negociar melhor, escolher empreendedoras fornecedoras, e mais. Ao todo foram 4 milhões de mulheres já impactadas".

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.