Bradesco e Claro criam empresa de pagamento via celular

MPO - processadora de pagamentos móveis nasce com capital social de R$ 50.000

São Paulo - O banco Bradesco e a Claro firmaram acordo para criar a MPO, companhia de processamento de pagamento e outros serviços por meio de aparelhos móveis.

De acordo com a ata de assembleia geral de constituição da MPO, publicada na última quarta-feira no Diário Oficial de São Paulo, a companhia irá, entre outras funções, prestar serviços relacionados à aceitação de transações e pagamentos móveis.

Será possível também a consulta de saldos e extratos de contas correntes por meio de celulares.

A MPO tem capital avaliado em 50.000 reais, representado por 50.000 ações ordinárias nominativas-escriturais, sem valor nominal.

O modelo de negócio, que ainda é desenhado pelas companhias, é semelhante ao Oi Paggo, utilizado pelo Banco do Brasil e Cielo para pagamentos e outras operações feitas por meio de aparelhos móveis.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.