Boeing orienta pilotos após novo acidente com 737 Max

O Boletim Técnico de Operações de Voo, com data de segunda-feira, foi enviado a clientes da Boeing em todo o mundo

A Boeing emitiu um boletim de segurança lembrando os pilotos das medidas necessárias para garantir que eles mantenham o controle de suas aeronaves após o acidente com o avião na Indonésia no mês passado.

O Boletim Técnico de Operações de Voo, com data de segunda-feira, foi enviado a clientes da Boeing em todo o mundo. Seu objetivo é “reforçar o monitoramento ativo da tripulação de voo do estado do avião e do gerenciamento da trajetória de voo para evitar problemas com a aeronave.”

Embora não aborde especificamente o voo SJ182 da Sriwijaya Air - que entrou em um mergulho abrupto logo após a decolagem em 9 de janeiro, matando todas as 62 pessoas a bordo - é um lembrete de alto nível para os pilotos monitorarem suas aeronaves quanto aos tipos de problemas que ocorreram antes do acidente e como se recuperar de tais situações.

“A perda de controle em voo continua sendo a maior causa de fatalidades na aviação comercial”, disse a empresa no documento analisado pela Bloomberg News. “Este boletim tem como objetivo reforçar a importância do monitoramento ativo do estado do avião enquanto a trajetória de voo é gerenciada.”

A Boeing disse em comunicado enviado por e-mail que “se comunica regularmente com os clientes sobre como eles podem operar seus aviões com segurança e confiança.”

Sistemas Complexos

No boletim, a Boeing lista várias causas que podem desencadear uma perda de controle, que incluem mau funcionamento e ações incorretas dos pilotos. A prevenção a esses problemas “envolve a participação ativa de ambos os pilotos”, disse.

Também alertou contra distrações e complacência. “Os sistemas de controle de voo altamente automatizados e confiáveis reduziram muito as cargas de trabalho dos pilotos, mas a necessidade de monitoramento de sistemas complexos aumentou”, disse.

Como no acidente de Sriwijaya Air, que começou com o que parece ter sido um problema relativamente menor com o controle automático do acelerador do jato, a Boeing disse que os pilotos precisam ficar atentos a sinais de atividade de voo incomum.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.