Alstom não comenta citação em gravações de filho de Cerveró

A Alstom divulgou nota informando que não irá comentar a citação do nome da companhia nas gravações que levaram à prisão de Delcídio Amaral

São Paulo - A multinacional francesa Alstom divulgou nota nesta quinta-feira, 26, informando que não irá comentar a citação do nome da companhia nas gravações que levaram à prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS) ontem.

Nos diálogos, o senador mostra surpresa e preocupação ao se deparar com anotações do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró obtidas pelo banqueiro André Esteves relacionando o parlamentar à empresa. "A Alstom não vai comentar e reitera o seu total compromisso no seguimento das leis e regulamentos dos países onde atua", diz a nota.

O senador já foi citado pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa como sendo destinatário de propinas da Alstom no período em que foi diretor de Gás e Energia da Petrobras, entre 1999 e 2001, no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Na conversa gravada pelo filho do ex-diretor, Bernardo Cerveró, Delcídio conta que, em um dos encontros com o banqueiro, viu uma anotação manuscrita com o nome da empresa e dele na última página do acordo de delação obtido por Esteves.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.