Mundo

Xi Jinping promete acabar com pobreza extrema até 2020

China quer que os 70 milhões de pessoas que ainda vivem sob a linha de pobreza, com renda de menos de um dólar por dia, saiam dessa situação


	O presidente chinês, Xi Jinping: a China, lembrou o presidente Xi, tirou da pobreza 600 milhões de pessoas nos últimos 30 anos (70% do total mundial)
 (Johannes Eisele/AFP)

O presidente chinês, Xi Jinping: a China, lembrou o presidente Xi, tirou da pobreza 600 milhões de pessoas nos últimos 30 anos (70% do total mundial) (Johannes Eisele/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de outubro de 2015 às 11h47.

Pequim - O presidente da China, Xi Jinping, se comprometeu nesta sexta-feira colocar em práticas políticas que consigam que os 70 milhões de pessoas que no país vivem ainda sob a linha de pobreza, com renda de menos de um dólar por dia, saiam dessa situação antes do final desta década.

Em discurso em um fórum internacional para a redução da pobreza realizado nestes dias em Pequim, Xi lembrou que a China é o país que antes cumpriu o principal objetivo de desenvolvimento do milênio da ONU, que era reduzir pela metade o número de pobres em cada país entre 2000 e 2015.

A China, lembrou o presidente Xi, tirou da pobreza 600 milhões de pessoas nos últimos 30 anos (70% do total mundial), embora Xi tenha reconhecido que "apesar das conquistas continuamos sendo a maior nação em desenvolvimento, e reduzir as diferenças entre campo e cidade continua sendo nosso grande desafio".

O fórum acontece na véspera do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, e dele também participam o responsável do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Helen Clark, a diretora geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, e o vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera, entre outros.

No mês passado, o presidente da China prometeu na Assembleia das Nações Unidas em Nova York contribuir com US$ 2 bilhões para um fundo de assistência para que outras nações em desenvolvimento avancem rumo ao cumprimento dos Objetivos do Milênio.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaChinaONUPobrezaXi Jinping

Mais de Mundo

Kamala associa Trump a abusadores e golpistas em 1º comício após desistência de Biden

Kamala bate recorde de doações, conquista delegados e deve fechar nomeação nesta semana

Após fala de Maduro, Lula envia Celso Amorim para acompanhar eleição na Venezuela

Trump se torna o candidato mais velho à Presidência dos EUA, e questões sobre sua saúde se acumulam

Mais na Exame