• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Uma em cada 4 crianças viverá com escassez de água em 2040

De acordo com levantamento da Unicef, mais de 36 países enfrentam atualmente situações de estresse hídrico extremo
Água: o aumento das temperaturas e as secas podem colocar as crianças em risco de desidratação (Reuters/Reuters)
Água: o aumento das temperaturas e as secas podem colocar as crianças em risco de desidratação (Reuters/Reuters)
Por AFPPublicado em 22/03/2017 17:46 | Última atualização em 22/03/2017 17:46Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Aproximadamente uma em cada quatro crianças em todo o mundo viverá em regiões com recursos hídricos extremamente escassos em 2040, informou a Unicef em um relatório na quarta-feira.

Em uma pesquisa divulgada no Dia Mundial da Água, a agência das Nações Unidas para a infância alertou que em pouco mais de duas décadas quase 600 milhões de crianças estarão vivendo em áreas com fontes de água severamente limitadas, conforme o crescimento populacional e o aumento da demanda de água se juntarem aos efeitos das mudanças climáticas.

Mais de 36 países enfrentam atualmente situações de estresse hídrico extremo, segundo o relatório, e a demanda de água excede a oferta renovável disponível.

O aumento das temperaturas e as secas podem colocar as crianças em risco de desidratação, de acordo com a Unicef, enquanto o aumento das chuvas e inundações pode destruir a infraestrutura de saneamento e ajudar a espalhar doenças transmitidas pela água, como a cólera.

Mais de 800 crianças com menos de cinco anos morrem diariamente por diarreia ligada a um saneamento deficiente e à escassez de fontes de água potável, disse o relatório.

A seca e os conflitos são os fatores por trás da escassez de água em partes da Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iêmen, diz o relatório. Quase 1,4 milhão de crianças nessas áreas enfrentam um "risco iminente de morte" por causa da fome.

Só na Etiópia, mais de nove milhões de pessoas não terão acesso a água potável neste ano, de acordo com projeções da agência.

Sem água "nada pode crescer", apontou o diretor executivo da Unicef, Anthony Lake.

"Milhões de crianças carecem de acesso à água potável - o que põe em risco as suas vidas, afeta a sua saúde e ameaça o seu futuro", acrescentou.

A crise "só vai aumentar, a menos que tomemos uma ação coletiva agora", disse.

A Unicef pediu às comunidades que diversifiquem suas fontes de água e que os governos priorizem o acesso à água potável para crianças vulneráveis.

Em outro relatório divulgado na quarta-feira, a ONU disse que a reciclagem das águas residuais do mundo - cuja maioria não é tratada - aliviaria a escassez global de água e protegeria o meio ambiente.

Dois terços da humanidade vivem em zonas onde a escassez de água é patente por ao menos um mês do ano. A metade delas vivem na China e na Índia.

No ano passado, uma pesquisa do Fórum Econômico Mundial identificou as crises de água como o maior risco global da próxima década.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente prevê que, de acordo com as tendências atuais, a demanda de água - para a indústria, a energia e um bilhão a mais de pessoas - aumentará 50% até 2030.