Ucrânia cancela voos diretos para a China para evitar surto do coronavírus

Todas as companhias que oferecem voos direitos para a China terão seus serviços interrompidos temporariamente a partir do dia 4 de fevereiro
China: até o momento, a Ucrânia não tem nenhum caso suspeito confirmado (Aly Song/Reuters)
China: até o momento, a Ucrânia não tem nenhum caso suspeito confirmado (Aly Song/Reuters)
E
EFE

Publicado em 30/01/2020 às 15:29.

Última atualização em 30/01/2020 às 15:31.

Kiev — A Ucrânia cancelará os voos diretos para a China a partir de 4 de fevereiro, de modo a evitar a propagação do novo coronavírus inicialmente detectado em Wuhan, anunciou nesta quinta-feira o diretor-geral adjunto do Aeroporto Internacional Borispol de Kiev, Oleg Struk.

"As companhias aéreas nos informaram do cancelamento dos voos diretos para a China", disse Struk, em declaração reproduzida pela agência ucraniana UNN.

Struk acrescentou que as companhias aéreas MAU e SkyUp realizarão mais três voos, programados para 31 de janeiro e 2 e 4 de fevereiro, "após os quais não haverá mais voos durante um mês".

O dirigente frisou que todos os funcionários do aeroporto recebem proteção individual e que é efetuado um "trabalho de desinfecção".

Struk acrescentou que o aeroporto já destinou vagas de estacionamento de quarentena para os aviões que seriam rebocados se pessoas infectadas fossem encontradas a bordo.

"Até agora, nenhum avião foi colocado em quarentena. Mas os funcionários do aeroporto estão prontos para isso", explicou.

O Ministério da Saúde Pública do país informou que, até agora, "não há nenhum caso confirmado" de infecção com o vírus de 2019-nCoV.

O diretor interino do Centro de Saúde Pública da Ucrânia, Igor Kuzin, disse que o governo criará uma linha de abrangência nacional para que médicos obtenham informações sobre tratamento e outros dados sobre a nova doença viral.