Tribunal Marítimo ordena que Rússia libere ativistas

O Tribunal Marítimo Internacional ordenou que a Rússia libere os ativistas do Greenpeace que permanecem presos sob a acusação de vandalismo

Hamburgo - O Tribunal Marítimo Internacional ordenou que a Rússia libere os ativistas do Greenpeace que permanecem presos sob a acusação de vandalismo durante um ato de protesto em uma plataforma da Gazprom, em setembro, assim como a embarcação do Artic Sunrise.

O diretor do Greenpeace na Rússia, Ivan Blokhov, disse que "a tripulação deve ser liberada e tem o direito de deixar o território" do país.

O Tribunal Marítimo Internacional de Hamburgo (Alemanha) deu início ao processo de arbitragem solicitado pela Holanda sobre a prisão de ativistas do Greenpeace, no começo de novembro.

Inicialmente, o grupo foi acusado de pirataria na Rússia, que pode render penas de até 15 anos, mas agora terão que responder por vandalismo, crime cuja sentença pode chegar a sete anos de cadeia. Parte do grupo, entre eles a brasileira Ana Paula Maciel, já foi libertada. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também