Trabalhadores pedem ao G20 mais recursos para combater ebola

Trabalhadores do setor de saúde do continente africano pediram mais recursos para lutar contra o ebola aos líderes do G20

Brisbane - Trabalhadores do setor de saúde do continente africano, que estão na frente de batalha contra o ebola, pediram nesta quinta-feira aos líderes do G20 mais recursos para lutar contra a doença e denunciaram as precárias condições de trabalho.

A enfermeira liberiana Laurene Wisseh afirmou que os trabalhadores do setor de saúde se viram obrigados a usar bolsas de plástico para proteger-se do contágio, diante da falta de luvas e roupas adequadas.

Um motorista de ambulância, Gorden Kamara, afirmou que a Libéria tem apenas 15 veículos do tipo para 1,5 milhão de pessoas e um médico para cada 14.000 habitantes, enquanto no Reino Unido são 40 médico para cada 14.000.

"Não temos nada", disse em uma conferência em Brisbane (leste da Austrália), que receberá a reunião do G20, por meio do Skype.

"A falta de equipamento de proteção e de instalações de saúde propiciaram uma elevada taxa de contágios e mortes entre os trabalhadores de saúde, o que resultou no abandono hospitais e clínicas", explicou.

A epidemia de ebola na África ocidental será um dos principais temas da reunião do G20.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.