Tesouro dos EUA evita dizer que China manipula câmbio

Segundo o Tesouro dos EUA, de junho de 2010 até o fim de abril deste ano, o iuane valorizou-se em 5,1% em relação ao dólar

São Paulo - O Departamento do Tesouro dos EUA disse que a moeda chinesa continua substancialmente subvalorizada, mas não chegou a indicar a China como um país que manipula sua taxa de câmbio. Relatório encaminhado ao Congresso diz que "a opinião do Tesouro é de que o progresso feito até agora é insuficiente e que um progresso mais rápido é necessário".

Segundo o Tesouro dos EUA, de junho de 2010 até o fim de abril deste ano, o yuan valorizou-se em 5,1% em relação ao dólar. Em junho do ano passado, a China havia anunciado que retomaria o programa de flexibilização do câmbio.

Para o Tesouro dos EUA, seria do interesse da própria China permitir uma valorização mais rápida do yuan. "Se não fizer isso a China estará diante do risco de inflação mais rápida, de expansão excessivamente rápida do crédito doméstico e uma pressão altista nos preços dos imóveis; tudo isso poderia ameaçar seu crescimento econômico no futuro", diz o relatório.

Os membros do Congresso dos EUA deverão ficar decepcionados com as conclusões do Tesouro. Muitos congressistas têm pressionado por medidas mais duras dos EUA contra a China. As informações são da Dow Jones.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.