Mundo

Suspeito de atacar funcionário consular dos EUA é americano

A agressão ocorreu sexta-feira quando o agente consular dos EUA em Guadalajara, México, saía de seu carro e foi atacado por um homem

Ataque: o indivíduo "será expulso e repatriado aos Estados Unidos (Embassy in Mexico/Handout/Reuters)

Ataque: o indivíduo "será expulso e repatriado aos Estados Unidos (Embassy in Mexico/Handout/Reuters)

A

AFP

Publicado em 9 de janeiro de 2017 às 08h46.

Última atualização em 9 de janeiro de 2017 às 08h47.

O suspeito de atirar contra um funcionário consular dos Estados Unidos em Guadalajara é americano e será entregue ao seu país para que responda pelo ataque, informaram no domingo autoridades americanas.

Um comunicado da chancelaria e do Ministério Público do México disse que se trata de um "indivíduo americano", mas não menciona seu nome, idade ou o possível motivo do ataque lançado em Guadalajara, a segunda cidade do país.

A agressão foi registrada na sexta-feira quando o agente consular saía de seu carro em uma zona comercial de Guadalajara e foi atacado por um homem com roupas de enfermeiro, peruca e óculos escuros, como mostra um vídeo divulgado pelo consulado desta cidade.

O indivíduo "será expulso e repatriado aos Estados Unidos, onde sua situação jurídica será determinada", disse o comunicado, ao afirmar que "manteve uma comunicação permanente com os representantes diplomáticos e consulares" dos Estados Unidos.

Acrescenta que funcionários da chancelaria "acompanharam a vítima no hospital e continuam monitorando seu estado de saúde, que é estável".

Uma fonte do Ministério Público de Jalisco disse à AFP sob anonimato que o criminoso seria de origem indiana, mas com nacionalidade americana, e que teria 31 anos.

A captura do suspeito foi feita graças à colaboração do FBI, que oferecia uma recompensa de 20.000 dólares, da embaixada americana e do consulado em Guadalajara, acrescenta o comunicado governamental.

As autoridades mexicanas e americanas não informaram sobre o cargo ocupado pelo funcionário consular, mas uma fonte do governo americano disse que seria um vice-cônsul.

O procurador de Jalisco, Eduardo Almaguer, disse no sábado a jornalistas que o funcionário, que foi atacado com uma arma de calibre .380, seria encarregado de realizar entrevistas relacionadas à entrega de vistos.

Segundo meios de comunicação locais, o funcionário teria sido ferido no tórax.

Em nome do presidente americano, Barack Obama, o secretário de Estado John Kerry agradeceu no domingo ao governo mexicano pela captura do suposto autor deste ataque, de acordo com uma declaração à imprensa.

"O bem-estar e a segurança dos cidadãos americanos e de nosso corpo diplomático no exterior são uma de nossas principais prioridades", disse Kerry ao desejar ao funcionário consular uma recuperação rápida.

Após o ataque, a embaixada emitiu uma mensagem de segurança dirigida aos americanos em Guadalajara, pedindo que "restrinjam seus movimentos fora de suas casas ou locais de trabalho" a menos que seja "verdadeiramente necessário" e que mudem seus horários e rotas habituais de deslocamento.

Nos últimos anos ocorreram diversos ataques contra funcionários americanos.

Acompanhe tudo sobre:CrimeEstados Unidos (EUA)México

Mais de Mundo

Eleição nos EUA: Trump vai inflamar ou moderar o discurso na convenção republicana?

Biden continua apresentando sintomas leves de covid-19, diz médico do presidente

Aliada de Macron é eleita presidente do Parlamento em 1º teste de forças após as eleições na França

Maduro fala em risco de 'banho de sangue' se for derrotado nas eleições da Venezuela; veja vídeo

Mais na Exame