Superávit comercial do EUA com A.Latina sobe 2,22% em novembro

No acumulado em 2010, valor alcançou aumento de 32,3%

Washington - O superávit dos países da América Latina e do Caribe em seu comércio de bens com os Estados Unidos cresceu 2,22% em novembro e ficou em US$ 4,290 bilhões, informou nesta quinta-feira o Departamento de Comércio.

Nos 11 primeiros meses de 2010, o superávit latino-americano e caribenho somou US$ 54,552 bilhões, 32,3% superior ao alcançado entre janeiro e novembro de 2009.

Em novembro, o superávit latino-americano representou 7,67% do déficit no comércio de bens americanos, que somou naquele mês US$ 55,901 bilhões.

O superávit do México no comércio de bens com os EUA recuou US$ 5,753 bilhões em outubro e para US$ 5,617 bilhões em novembro.

Nos 11 primeiros meses do ano, o superávit mexicano somou US$ 61,643 bilhões em comparação com os US$ 42,458 bilhões no período similar do ano anterior.

Argentina, que teve em outubro déficit de US$ 315 milhões registrou em novembro US$ 376 milhões. Nos 11 primeiros meses de 2010, o déficit argentino alcançou US$ 3,354 bilhões, mais que o dobro de US$ 1,575 bilhão entre janeiro e novembro de 2009.

O Brasil, que teve em outubro déficit de US$ 1,141 bilhão, registrou em novembro US$ 1,133 bilhão. De janeiro a novembro, o déficit brasileiro chegou a US$ 10,739 bilhões, comparado com o saldo negativo de US$ 5,382 bilhões no período similar de 2009.

Chile passou de déficit de US$ 522 milhões em outubro para US$ 433 milhões em novembro. Nos 11 primeiros meses de 2010, o déficit chileno acumulou US$ 3,652 bilhões comparado com os US$ 2,936 bilhões no mesmo período de 2009.

Colômbia, que teve em outubro superávit de US$ 143 milhões, obteve em novembro US$ 597 milhões. O saldo propício à Colômbia alcançou 11 primeiros meses US$ 3,326 bilhões, comparado com US$ 1,664 bilhão entre janeiro e novembro de 2009.

O superávit da Venezuela subiu de US$ 1,231 bilhão em outubro para US$ 1,580 bilhão em novembro. Durante os 11 primeiros meses de 2010, a Venezuela alcançou um saldo propício de US$ 20,119 bilhões, acima dos US$ 16,593 bilhões no período similar de 2009.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.