Suíça impõe sanções contra esposa e mãe de Bashar al Assad

A medida também inclui outras pessoas do entorno direto do presidente sírio, como sua irmã Bushra e sua cunhada Manal

Genebra - A Suíça anunciou nesta segunda-feira um endurecimento de suas sanções contra o Governo de Damasco e sua extensão a Asma e Anisa al Assad, esposa e mãe do presidente, Bashar al-Assad.

A Secretaria de Estado de Economia (SECO) informou que a medida inclui outras pessoas do entorno direto do presidente sírio, como sua irmã Bushra e sua cunhada Manal, esposa de seu irmão Maher, que dirige a Guarda Republicana.

A medida afeta também sete ministros do governo, um empresário e duas sociedades petrolíferas, que a SECO considera igualmente 'beneficiadas e associadas diretos do regime'.

As sanções implicam em um congelamento dos bens e recursos econômicos que estas pessoas e empresas possam ter na Suíça, assim como a proibição de entrar na Confederação Helvética.

Representam também um embargo de material militar e a proibição de comercializar petróleo e seus derivados com a Síria.

Com estas medidas, com as quais Berna se alinha com as adotadas previamente pela União Europeia (UE), a lista negra suíça contra o regime sírio inclui 127 pessoas e 40 empresas e entidades. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.