Mundo

Submarino nuclear russo chega a Cuba para celebração de relação diplomatica entre países

Submarino faz parte de um destacamento que chegou à ilha nesta quarta-feira, 12

O submarino nuclear russo "Kazan" (à esquerda) e a fragata "Almirante Gorshkov" na chegada à Baía de Havana em 12 de junho de 2024 (AFP/AFP)

O submarino nuclear russo "Kazan" (à esquerda) e a fragata "Almirante Gorshkov" na chegada à Baía de Havana em 12 de junho de 2024 (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 12 de junho de 2024 às 11h16.

Um destacamento naval russo, que inclui o submarino nuclear "Kazan", chegou nesta quarta-feira, 12, a Cuba para uma visita de cinco dias à ilha, informou a AFP.

Minutos antes das 08h00 locais (09h00 no horário de Brasília), o petroleiro "Pashin" entrou na baía de Havana na vanguarda da flotilha, seguido pelo rebocador de resgate "Nikolai Chiker" decorado com listras brancas, azuis e vermelhas da bandeira russa.

Em uma manhã cinzenta devido ao nevoeiro e à chuva persistente da noite anterior, o submarino nuclear "Kazan" apareceu no horizonte. Atrás dele, a fragata "Almirante Gorshkov" se aproximava da baía que faz fronteira com a capital cubana.

O navio-patrulha da Marinha Real do Canadá HMCS Margaret Broooke também chegará na sexta-feira à ilha, no contexto do 80º aniversário das relações diplomáticas entre Cuba e Canadá, informou o Ministério das Relações Exteriores cubano.

O Ministério das Forças Armadas Revolucionárias (Minfar) indicou na semana passada que os navios russos não transportam armas nucleares e não representam uma "ameaça à região".

A chegada desta frota ocorre no mesmo dia em que o ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez, e seu homólogo russo, Sergei Lavrov, se reuniram em Moscou, informou a Chancelaria de Cuba.

A visita da fragata russa "cumpre estritamente as normas internacionais das quais Cuba é Estado parte" e responde às "históricas relações de amizade" entre Havana e Moscou, afirmou o Exército cubano.

A visita deste destacamento naval ocorre um mês depois de o presidente Miguel Díaz-Canel ter desejado sucesso a Moscou no conflito com a Ucrânia, durante uma visita à Rússia em que acompanhou o presidente Vladimir Putin no desfile comemorativo da vitória soviética contra os nazistas em 1945.

"Desejamos à Rússia sucesso na condução da operação militar especial", disse Díaz-Canel, que condenou "a manipulação geopolítica" dos Estados Unidos e a "ameaça da Otan de se aproximar das fronteiras" da Rússia, citado pela agência russa de notícias TASS.

 

Acompanhe tudo sobre:CubaRússiaCanadáDiplomacia

Mais de Mundo

Após ataque, Trump vai para Milwaukee, local da convenção republicana, neste domingo

Biden: Trump terá segurança ampliada e medidas de segurança da convenção republicana serão revistas

Peru declara 4 distritos em emergência após danos causados ​​por terremoto de 7 graus

Governo da Pensilvânia identifica homem que morreu no comício de Trump, diz jornal

Mais na Exame