Sobe para 8 o número de mortes em protestos contra Maduro na Venezuela

Manifestações tomam o país; Líder da oposição se declarou presidente interino e tem apoio de diversos países

Caracas - Uma fonte do Ministério Público da Venezuela informou à Agência Efe que estão sendo investigadas seis mortes ocorridas nas últimas horas durante os protestos antigovernamentais, enquanto, segundo o governo do estado Táchira, outras duas pessoas morreram nessa região.

A procuradoria confirmou à Efe que no distrito de Sucre, no oeste de Caracas, duas pessoas morreram nas últimas horas "em fatos que não envolvem funcionários de ordem pública" e que já estão sendo investigados por promotores designados para o caso.

Além disso, o Ministério Público está averiguando quatro mortes registradas "durante saques" que aconteceram no estado de Bolívar, na fronteira com o Brasil, também nas últimas horas nas quais essa entidade regional registrou várias manifestações contra o governo de Nicolás Maduro.

O jovem Alixon Pizani, de 16 anos, é uma das vítimas e foi ferido com arma de fogo ontem à noite em Caracas, segundo afirmou nesta quarta-feira o Observatório Venezuelano de Conflito Social (OVCS).

Meios de comunicação locais asseguram que as vítimas do estado Bolívar também receberam disparos enquanto participavam de saques.

Por sua parte, a governadora do Táchira, Laidy Gómez, indicou através da sua conta no Twitter que cinco pessoas receberam disparos, e duas delas morreram após apresentar "ferimentos na região do tórax e na região axilar".

Os incidentes violentos de Táchira, na fronteira com a Colômbia, aconteceram hoje no meio de um protesto antigovernamental na sua capital, San Cristóbal, que tinha sido convocado pela oposição para assinalar a "ilegitimidade" de Maduro.

Centenas de milhares de venezuelanos saíram hoje às ruas em todo o país para protestar contra o chefe de Estado, a quem consideram um "usurpador" após ter conseguido sua reeleição em pleitos tachados de fraudulentos e não reconhecidos por vários países.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também